Espaço para comentar notícias, falar sobre o cotidiano, política, comunicação, e a cultura que nos leva a ser quem somos. Ou será o contrário?

sexta-feira, 29 de janeiro de 2010

Hoje é 6ª-feira



A novela dos turistas brasileiros no Peru

Finalmente parece estar chegando ao fim a novela dos brasileiros presos na região turística de Cusco e Machu Picchu. O Twitter, mais uma vez, foi a ferramenta mais utilizada para que as pessoas pudessem dar seu testemunho online e ao mesmo tempo dar notícias às suas famílias. É o exemplo da gaúcha de São Leopoldo Melissa Dietrich, que estava no Pirwa Hostel, em Cusco, e afirma já ter sido resgatada por helicóptero da região e que a próxima parada seria La Paz, na Bolívia. A ferramenta acabou sendo uma maneira prática também para a imprensa chegar na fonte, ou seja, as pessoas que estavam presas lá, e não apenas receber notícias oficiais, que nem sempre estavam de acordo com o que viviam os turistas.



Exibir mapa ampliado





Outra fonte é o Facebook: na terça-feira a página do Loki Hostel Cusco na rede, onde estive em dezembro, tinha o testemunho de uma funcionária (que postou assim, mesmo, em inglês, como a maioria da equipe do hostel...), que desde então não atualizou, mas dá uma ideia do clima naquele momento.



Celeste Woolley Due to the heavy rains that have been falling in recent days, there are significant problems in the Cusco region and routes to Machu Picchu are currently blocked. There will be no tours or treks leaving for the Sacred Valley or Machu Picchu for what looks like at least 3 days.



The Peru rail lines are currently blocked ...






Já o site oficial do hostel traz, além do texto reproduzido no Facebook, a indicação (embora não confirmada, mas há um e-mail para contato) de que está tudo bem no albergue, pois apenas não se compromete em agendar roteiros turísticos na região, mas aceita hóspedes e ainda realiza no seu bar interno um "quiz" para arrecadar fundos para os moradores locais - o que, aliás, é um hábito saudável no hostel, apenas reforçado com o problema atual.

Há ainda o site do governo de Cusco, mas embora haja uma lista de pessoas resgatadas, ela não é atualizada desde quarta-feira, e não é à toa que 57% das pessoas marcaram na pesquisa sobre a qualidade do site que ele "pode melhorar" - afinal, não havia qualificação pior que esta... 



quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

Continuamos INcapazes ou ainda no "otro lado del río"





Cusco em dezembro de 2009, vista do albergue na Cuesta de Santa Ana

Sabe aquele ditado que diz "cuidado com o que deseja, pode acontecer"? É o que devem estar pensando os turistas presos em Cusco, Machu Picchu e Aguas Calientes, no Peru, após as chuvas torrenciais que provocaram a elevação do nível do rio Urubamba - que em dias de chuva fraca é bastante agitado - e deslizamentos de terras que resultaram em quedas de pontes e interrupção de trilhos. Eu tive mais sorte ao fazer a mesma visita, e embora soubesse que era o início da estação das chuvas, não me assustei - e fique claro que não me arrependo e continuo recomendando apesar de tudo que vi e escrevi - pois sempre disseram ser raro chuva forte como ocorreu e que por isso mesmo surpreendeu. No entanto, isso não se aplica a quem faz trilhas, que deveria mesmo evitar o período.


Rio Urubamba, em Aguas Calientes, em um dia de chuva fina de dezembro (2009)

Acontece que no ano passado ouvi em Madri que lá é raro nevar, e neste ano também houve exceção. Culpa de São Pedro, da mãe natureza, ou nossa? E, mesmo assim, e as providências tomadas após o ocorrido, são satisfatórias?


Estação de trem onde estão os turistas (em um dia normal, dezembro 2009)



Os turistas vão sair de lá, felizmente, em segurança, ao menos a imensa maioria. Mas e a população que fica?


Caminho para Machu Picchu (dezembro 2009)



A ponte por onde passei em Pisac, caiu. Eu não vou passar, provavelmente, pelo mesmo local. As pessoas que moram lá, sim.


Trabalhadora no Vale Sagrado (dezembro 2009)



Os trilhos ligam o caminho que praticamente só os turistas fazem. Qual ficará pronto mais rápido? Talvez o povo de Pisac tenha sorte, afinal, estão no roteiro turístico. O Peru deveria, inclusive, acrescentar uma rota turística para voluntários, já que há tantos que fazem as trilhas e caminhos mais difíceis, para que estes - e também os demais, cada um de acordo com suas possibilidades - auxiliem a população local. São eles que mantêm o que está lá, o tesouro é este, pois foram pessoas assim que construíram as maravilhas que nos deslocamos para ver.



Sorte: céu aberto em Machu Picchu (dezembro 2009)


Para a população local não vi nada muito diferente do que assisti no filme "Diários de Motocicleta". Outro dia comentei, em tempos de Fórum Social Mundial, que, sim, um outro mundo é possível. Mas é lento, bem, mais lento. Em Cusco os nativos comentam em tom de piada que as construções dos Incas estão lá até hoje, e que o que cai foi obra dos INcapazes, ou seja, os colonizadores. Em último caso, após todos estes anos, somos todos incapazes de tomar cuidados, precauções, providências.







Incapazes de subir, que dirá de construir. 


Vi muita sinalização com relação a terremotos, mas nada sobre chuvas. Afinal, há décadas não acontecia nada semelhante. Mas as narrativas (aqui e aqui) dos brasileiros são reais, em Cusco, é frio à noite e pela manhã, e há precariedade em serviços como em toda a AL. Mas, novamente, os nativos vivem isso diariamente. É o "otro lado del río" chegando mais perto...



Peruana caminha sozinha em Ollataytambo - e não apenas lá


Sonhos e pesadelos, enfim, podem caminhar juntos. Um outro fator que pode salvar ou dar dor de cabeça à muita gente, são as companhias aéreas. Outro dia, eu mesma fazendo uma queixa porém sobre outro assunto no Juizado Especial Cível, no Foro Central, em Porto Alegre, conheci um rapaz que iria viajar nesta época a Cusco pela LAN Peru, que também utilizei. Porém, como comprou uma passagem para nativos, teria que pagar uma multa que acabava sendo maior que a passagem, e a companhia se negava a, pelo menos, cancelar a passagem, já que afinal não havia voado. Hoje esse rapaz deve estar agradecendo todo o stress sofrido. O mesmo testemunhei em casa, com uma desistência de viagem na família devido à confusão da recém instalada Taca, que possui promoções ótimas mas problemas sérios na comunicação destas promoções, o que acabou - felizmente - evitando esta viagem que estaria acontecendo bem nesta semana. Eu, particularmente, escapei da segunda. Não sei quanto tempo a sorte me acompanhará, mas me solidarizo com essas pessoas que não são turistas e que vivem essa realidade todos os dias.


Moradores do bairro do Passo, em São Borja, sofrem com a enchente 
Foto:Claudio Gottfried (Zero  Hora, 02/11/2008)

Aqui mesmo em São Paulo, no interior do RS, São Borja, região de Montenegro... para citar alguns. Esse filme eu não quero rever nas manchetes de jornais (aqui, aqui, aqui...), mas ele acaba sempre lá.


terça-feira, 26 de janeiro de 2010

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Campanha por Landell de Moura


Deu na Coletiva.Net:

A newsletter Jornalistas&Cia deu início a uma ação para o resgate da memória do inventor do rádio, o cientista padre Landell de Moura. Está circulando na internet um abaixo-assinado no sitewww.mlm.landelldemoura.qsl.br. O objetivo é arrecadar o maior número possível de assinaturas para pressionar as autoridades brasileiras a reconhecerem os feitos do padre-cientista e os incluírem no currículo básico dos cursos de primeiro grau, que hoje reconhecem o italiano Guglielmo Marconi, como inventor do aparelho. O movimento foi criado por estudiosos da obra e vida do inventor.

Conforme o editorial da última edição do Jornalistas & Cia,  a meta é atingir, nos próximos 12 meses, que antecedem o sesquicentenário do nascimento de Landell de Moura, um  milhão de assinaturas. Gaúcho de nascimento, Padre Landell, como era conhecido, patenteou seu invento em março de 1901, no Brasil e Estados Unidos, mas, por uma série de infortúnios, não conseguiu nenhum apoio para o desenvolvimento dos artefatos.

Coletiva.Net  
http://www.coletiva.net/site/noticia_detalhe.php?idNoticia=33969

Porto Alegre com problemas na programação do FSM


Está difícil de engrenar a programação de Porto Alegre no site oficial do FSM 2010. Ainda não entendi onde é o furo da bala, já que a diversidade político-partidária da organização é bem diversa. Ou talvez seja só bagunça de início de evento, mesmo, e felizmente (parece) as coisas mais "sérias", que tem atenção da mídia e trazem celebridades, estão correndo normalmente. Agora, mesmo sendo público e notório que a prefeitura está priorizando (imagina se não estivesse, na usina não sabem nem dizer o horário de funcionamento...) outros eventos que vem por aí, como a Copa, uma atualização de site não dá para dizer que é algo que vá afundar os cofres públicos, depois de tudo montado. Os jornais publicam - o que sai mais caro - os anúncios de shows, etc, então no site entrariam as palestras, exposições, oficinas, etc. Mas, não adianta. E, o pior, é que tempo houve. E, pior ainda, é ver que foi feito material gráfico de várias páginas para fazer propaganda durante o Fórum, mas não foi impressa a programação. Quer dizer, se era para gastar com impressão, porque não fazer logo tudo junto, e aproveitar melhor o material? Só os #Fofos sabem. Afinal, as demais cidades da Grande POA estão com a programação lá, em html, pdf ou ambas.




Outro mistério é como é que os colegas conseguem fazer matéria sobre o Fórum se não colocam os fones da tradução simultânea e não prestam atenção nas falas, nem todas em inglês ou espanhol ou outros idiomas ocidentais. Dão razão aos que dizem que o maior defeito do jornalista é não ouvir. Quase ninguém com os fones, embora a maioria retirasse. Muitos só olhando para o próprio notebook, e as famosas perguntas que acabaram de ter a resposta dada acabam acontecendo muito. Uma pena, tanto para o repórter que perde a oportunidade tanto de ser mais rápido como de aproveitar falas com conteúdo - ou de discordar delas - como para o jornalismo em si. Acabamos dando munição a quem diz que não é necessário o diploma.




sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

MUHM leva exposição para o FSM 2010 e arrecada doações para vítimas do clima



O Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul (MUHM) participa das atividades do Fórum Social Mundial 2010 – edição comemorativa aos 10 anos da primeira edição – com painéis da exposição itinerante Retratos da Medicina: a História Médica do Rio Grande do Sul, que já passou por mais de 30 municípios gaúchos. A mostra estará no 4ª andar da Usina do Gasômetro de 25 a 29 de janeiro durante o horário de funcionamento das atividades do Fórum Social Mundial. 







Os visitantes podem complementar a experiência acessando de qualquer lugar com Internet os vídeos e o acervo virtual do museu no site http://www.muhm.org.br/ ou visitando o museu sua sede (na av. Independência, 270), onde pode fazer também doações para as vítimas do clima no RS e no Haiti, que posteriormente serão enviadas à Defesa Civil. A entrada para as visitações é gratuita.

A exposição itinerante Retratos da Medicina apresenta, por meio de painéis, quatro fases da história da medicina no estado: a prática médica (presença dos primeiros médicos em território gaúcho), o ensino médico (relato das primeiras escolas no Brasil e no Rio Grande do Sul), a defesa da profissão e organização sindical e os personagens da história da Medica.


O MUHM é mantido pelo Sindicato Médico do Rio Grande do Sul, que também possui programação no FSM, com palestras que vão de sustentabilidade ambiental a alcoolismo sendo realizadas no seu auditório na av. Corte Real, 975, dias 27 e 28 de janeiro.

Sobre o museu

O MUHM é o primeiro do gênero no Estado e um dos raros no País, com equipamentos peculiares que fazem um retorno ao passado e contrastam com a evolução da medicina atual. O acervo conta com mais de quatro mil livros de Medicina, entre raridades nacionais e estrangeiras, centenas de objetos e amplo material digitalizado para pesquisa, composto por doações de profissionais e familiares de todo o Estado.

Atualmente o museu possui duas exposições em sua sede, que durante o horário de Verão estão abertas de 3ªs a 6ªs-feiras a partir das 12h e sábados, domingos e feriados, a partir das 15h, sempre até às 20h. Mais informações pelo fone (51) 3029-2900.

DESAFIOS: A Medicina e a luta pela vida
Aborda as transformações ao longo da História da Medicina. A busca por conhecimentos para desenvolver a saúde, combater as doenças, aliviar a dor, prolongar a vida e torná-la é mostrada em seis eixos: o conhecimento médico, os costumes, o diagnóstico, as especialidades, as causas das doenças e os tratamentos. Permite discutir questões de hábitos como o de lavar as mãos e as vacinas e seus reflexos na saúde pública. Exposição de longa duração.

Compartilhando Memórias: o MUHM e seus Doadores
A mostra homenageia aqueles que ajudaram e continuam ajudando a compor o acervo do museu, por meio de doações de objetos, livros, fotografias e outros documentos. Até abril de 2010.






quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

III Seminário Internacional Media, Jornalismo e Democracia aceita propostas até 31 de maio

A Intercom informa a abertura, até o dia 31 de maio, do período de submissão de propostas de comunicações ao III Seminário Internacional Media, Jornalismo e Democracia. Organizado pelo Centro de Investigação Media e Jornalismo, o evento será realizado na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, Portugal, nos dias 8 e 9 de novembro de 2010.

As comunicações podem tratar de todas as áreas da pesquisa no campo dos media e do jornalismo, mas a ênfase será nas diretamente relacionadas com o tema central do seminário. Mais informações sobre o programa e sobre as normas para submissão de trabalhos podem ser obtidas em no site http://sites.google.com/site/mediajornalismoedemocracia2010/ ou pelo e-mail jorgepedrosousa@gmail.com.

Reporters Sans Frontières: "Mémorial des journalistes" sur Internet


Reporters Sans Frontières - Un « Mémorial des journalistes » sur Internet é uma matéria sobre um site que registra informações sobre os jornalistas mortos durante (ou em decorrência) o seu trabalho. Iraque e Filipinas são alguns dos recordistas.

Ainda sobre Cocoricó

Nesta matéria (Jornal do Brasil - Cultura - TV Cultura não produzirá mais episódios de "Cocoricó" neste ano) fica-se sabendo o conteúdo da nota da TV Cultura sobre a demissão dos manipuladores. Dizem que eram temporários e que a temporada atual está pronta e com previsão de concentração de recursos em um filme. Mas nada garante que no próximo ano ela volte, afinal, o próprio caráter volátil do contrato com os artistas já denota problemas no processo. Administração não se compromete na nota a recontratar no ano seguinte, por exemplo.

quarta-feira, 20 de janeiro de 2010

Assembleia para a escolha dos representantes dos Museus para a Pré-Conferência Setorial de Museus e Memória

Acontece nos dias 26, 27 e 28 de fevereiro de 2010, no Palácio Gustavo Capanema, Auditório Gilberto Freyre, na cidade do Rio de Janeiro Pré-Conferência Setorial de Museus e Memória. A assembleia que irá escolher os representantes do Rio Grande do Sul para representarem os Museus do estado será realizada no dia 27 de janeiro de 2010, no MARGS, às 16h. Serão discutidas e votadas propostas de estratégias a serem encaminhadas a II Conferência Nacional de Cultura. Haverá também a eleição dos dez delegados setoriais e a eleição de um representante de museu junto ao Conselho Nacional de Políticas Culturais (CNPC).

Local: MARGS - Auditório do Museu de Arte do Rio Grande do Sul
Praça da Alfândega s/n - Centro - Porto Alegre RS     
Data: 27 de janeiro de 2010
Horário: 16h

Para participar da assembleia é preciso preencher um dos formulários que está disponível no site do Ministério da Cultura-MINC, e apenas os escolhidos nesta assembleia irão preencher o outro formulário.

Informações sobre a Pré-Conferência Setorial de Museus e Memórias e assembleias estaduais pelo e-mail conferenciasetorialmuseus@ibram.gov.br ou pelo telefone: (61) 2024-6157.

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

TV brasileira: crianças perdem melhor programa

Matéria do portal R7 sobre demissão da equipe do programa que é considerado o melhor da programação infantil brasileira, mesmo com toda a crítica favorável, investimento (e retorno!) em marketing e licenciados. Não dá para entender. Leia mais e acompanhe em http://entretenimento.r7.com/famosos-e-tv/noticias/cultura-demite-equipe-de-cocorico-por-telefone-20100119.html, porque eu mesma não acreditei ainda.

Pense no Haiti

É claro que, se por um lado, há muita gente preocupada e envolvida com a ajuda humanitária ao Haiti após a tragédia mais recente entre as diversas e históricas que o país vem sofrendo, por outro, sempre há quem lembre das mazelas nacionais e regionais, que também não são poucas, é verdade. Mas há ainda o aspecto político que ambas as visões acabam suscitando, e o aproveitamento do momento de forma bastante mesquinha, pois não é uma real preocupação com o local (nesses casos de aproveitamento). Achei muito
interessante e reproduzo o artigo veiculado hoje em Zero Hora.

"19 de janeiro de 2010 | N° 16220
ARTIGOS
A necessária solidariedade, por André Luiz Reis da Silva*
Como sabemos, uma tragédia se abateu sobre o Haiti. Além das décadas
de ditadura e de conflitos, teve de enfrentar um rigoroso terremoto,
que vitimou dezenas de milhares de pessoas e arruinou o país. Uma
tragédia que, sem uma ação rápida e forte, tem todos os ingredientes
para se transformar em uma catástrofe humana.
O Brasil, já engajado no processo de paz no Haiti, respondeu
imediatamente com envio de ajuda humanitária e será um dos líderes do
processo de reconstrução do país. Entretanto, o que é uma mostra da
vitalidade e solidariedade do governo e do povo brasileiros tem
ensejado leituras distorcidas a respeito da ajuda internacional.
Infelizmente, setores da imprensa ensaiaram um argumento acerca das
respostas dadas pelo governo federal às tragédias que se abateram em
vários pontos do Brasil em razão das enchentes provocadas pelas
chuvas. Sobretudo os representantes da imprensa gaúcha em Brasília
costumam utilizar signos e códigos farroupilhas que ainda estão
flutuando no imaginário regional acerca das relações com o governo
federal. Tal como no Império, estamos a pedir mais recursos, que não
vêm na contrapartida do nosso trabalho e contribuição da nação. Assim,
os nossos flagelados teriam sua ajuda desviada para um país distante.
Entretanto, o argumento de que a ajuda internacional desvia
necessários recursos internos de um país pobre é descabido. O Brasil
não é um país pobre. O problema é a injustiça social e a desigualdade
de renda, que se reflete na nossa cultura, nas nossas instituições e
na nossa formação econômica.
O Brasil vem crescendo diplomaticamente nos últimos anos, e o país
está se constituindo um interlocutor cada vez mais requisitado nos
fóruns internacionais. A ajuda brasileira é condizente com o papel que
o Brasil vem tendo no sistema internacional. Todos os países que têm
essa força e influência devem contribuir para a paz, a segurança, a
estabilidade e o desenvolvimento, tanto do ponto de vista político
quanto econômico e, inclusive, militar. O Brasil tem uma
responsabilidade maior que outros países sobre o Haiti, pois é o
responsável pelas tropas que procuram construir a paz num país
devastado pelos conflitos. Tem feito isso com dificuldades, mas foi,
depois de diversas experiências, a missão da ONU mais bem-sucedida no
Haiti.
Há um grande risco de que a frágil estabilidade alcançada no Haiti se
desestruture rapidamente, o que exigiria do Brasil e outros países um
rápido aumento da ajuda e de contingentes militares. Os próprios
militares que já atuam no Haiti ficariam em uma situação de
vulnerabilidade, devido à instabilidade social e ao desvio de suas
funções originais.
Assim, a política externa brasileira está em consonância com o poder e
a representatividade do Brasil no sistema internacional. E a isso
devemos nos acostumar, depois de tanto tempo com uma baixa autoestima
nacional. Cada vez mais a bandeira e a solidariedade do Brasil estarão
presentes em lugares distantes geograficamente, mas muito próximos de
nós nos sonhos e nas vicissitudes. Enfim, a mesquinharia comparativa
não condiz nem com o próprio imaginário farroupilha, adepto do
espírito solidário.

*PROFESSOR DE RELAÇÕES INTERNACIONAIS DA UFRGS"

Aliás este é o outro artigo que o jornal traz hoje (Eduardo Lima Silva, jornalista e perito criminalístico) tão pertinente quanto, afinal, fala de impunidade e corrupção, de cultura e educação, ou seja, dos verdadeiros inimigos da falta e desvio de recursos. Infelizmente não partilho do mesmo otimismo com relação a outubro, nem sempre pelos resultados, até, mas pelas razões... mas isso é mais complexo e para outro momento.

Trilha sonora: http://twitter.com/leticiacastro79/status/7746647249



segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Economia da Cultura x Economia com a Cultura: setor ganha reforços

Finalmente a Cultura ganhou um aliado de peso. Graças ao jornal Brasil Econômico, recém lançado, pode ser (oremos!) que investidores passem a ver as possibilidades de investimento em museus, prédios históricos e outras estruturas culturais que geram renda e lucro - sim - por meio do turismo e de posicionamento estratégico. O jornal tem inclusive chamado a atenção para a pesada atuação do Ministério da Cultura e Iphan nesta área, além da novidades da Lei Rouanet e o Vale Cultura. Apesar do nome, que pode afugentar muita gente que não pode ver cifras sem ser para gastá-las, o jornal transita em todas as áreas, demonstrando o quanto elas estão interligadas. Alguns exemplos de matérias feitas nos últimos tempos: impacto no turismo de Angra e São Luiz do Paraitinga - que inclusive muita gente nem sabia que existia, mas só o que vai perder com os desabamentos já demonstra como turismo, cultura e economia andam (ou deveriam andar) de mãos dadas. Outro ponto para o jornal é a diagramação e o papel: textos e fotos no tamanho certo, com mais informação em algumas matérias mas "rapidinhas" que deixam o leitor logo informado. Afinal, o leitor principal é o empresário com pouco tempo. Uma pena a versão online não apostar em um fundo não branco, tal qual a impressa, que é salmão - que além de ser elegante como o peixe no menu, proporciona maior descanso aos olhos.

domingo, 17 de janeiro de 2010

Comunicação e história vivas

Ontem me deparei com o post da Dedé sobre a passagem dela pela Rádio Continental e, pode-se dizer, sobre uma grande fase da história da Comunicação e do Jornalismo no RS, registrados por um dos meus (e de grande parte dos jornalistas de hoje) grandes mestres, Sérgio Endler. Lá também tem um link para essa obra do Sérgio, que é a sua tese de doutorado, e fotos ótimas como uma da Dedé com um gravador (que era trambolho) enorme mas que sem ele o rádio não seria o que foi. Outros tempos, em que a gente leva o celular pra rua ou um outro gravadorzinho tão leve quanto... e o povo ainda reclama. Aliás, já deixei lá no blog... a Dedé devia escrever um livro, porque conhece tanta gente e participou de tantas coisas marcantes que a gente não cansa de se impressionar. Só não sei se o livro deveria ser para contar tudo isso ou se para ensinar a gente a como parecer ter sempre a mesma idade, porque eu não entendo esse milagre de estar sempre literalmente bem na foto.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

SIMERS mobiliza ajuda humanitária ao Haiti, RS e outras regiões - MUHM é ponto de doações


O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS), mantenedor do Museu de História da Medicina (MUHM), e o próprio museu, solidários às comunidades afetadas drasticamente pelas forças da natureza no RS, em outras regiões do Brasil e no Haiti lança Campanha de Mobilização Social. Entre as atividades previstas, está a arrecadação de donativos primordiais à saúde das pessoas envolvidas com os desastres. O presidente do SIMERS, Paulo de Argollo Mendes, cita também que já há exemplos de médicos dispostos a atuar como voluntários no atendimento a feridos no Haiti.


Doações serão encaminhadas à Defesa Civil, para que ocorram as destinações, de acordo com o cadastro das necessidades de atendimento emergencial.

 

Locais de doação: Museu de História da Medicina - Avenida Independência, 270 (Prédio Histórico do Hospital Beneficência Portuguesa de Porto Alegre), e sede do Sindicato - Rua Corte Real, 975 - na Capital. Mais informações pelo telefone (51) 3027-3784.


 

Todas as doações são muito importantes: artigos para primeiros socorros, medicamentos, alimentos não perecíveis, roupas e afins.

 

Museus ganham reforços

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), criado em 2009 e originado do Departamento de Museus do Ministério da Cultura, embalado pela nova legislação sobre museus, está lançando concurso para preenchimento de vagas em todo o País. No RS as vagas estão em São Miguel das Missões, mas existem oportunidades diversas outras cidades de outros estados.



Ibram publica edital de concurso para preencher 294 vagas 
    
O Instituto Brasileiro de Museus – Ibram publicou nesta quinta-feira, 14, o edital do concurso público para 294 vagas de níveis médio e superior. Este será o primeiro certame para preencher os cargos da instituição, criada pela lei 11.906, de 20 de janeiro de 2009. Os aprovados serão lotados nas unidades museológicas que integram o Ibram, na sede em Brasília e em suas unidades administrativas no Rio de Janeiro e Belo Horizonte.

O período de inscrições pela internet será de 21 de janeiro a 23 de fevereiro de 2010 pelo site da organizadora do concurso, a FUNCAB - Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt. Para efetuar a inscrição pelos Correios o período será de 25 de janeiro a 27 de fevereiro de 2010.

A remuneração varia entre R$ 2.133,22 e R$ 3.012,82. O valor da taxa de inscrição é de R$ 38,00 para os cargos de nível médio, 50 vagas e R$ 67,00 para os de nível superior, 244 vagas.

O endereço eletrônico da FUNCAB na internet: http://www.funcab.org/

Clique aqui para ver a íntegra do Edital.
    
          
    
Fonte: Ibram/MinC

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Consumidor: população tem buscado direitos

A notícia abaixo está no site Coletiva.Net e deve estar amanhã nos principais jornais. Verdade seja dita, o atendimento dos funcionários (e estagiários) quando chegamos a eles é ótimo. O problema é chegar lá. Nesta quarta-feira (13), reservei a tarde para resolver um problema. Ia fazer o atendimento online, mas resolvi ir ao local para poder também pedir algumas outras orientações. Cheguei lá às 14h20min, passei pela triagem e, ao ser informada de que iria demorar, avisei que iria sair e voltar, então. OK. Fui à minha consulta médica e então, quase às 16h, quando a distribuição de fichas e, teoricamente, o atendimento encerra, voltei e entrei na sala. Faltavam sete posições para o meu número, que foi chamado 40 minutos depois. Saí às 17h30min, mas ficaram pessoas lá. 







Fui muito bem atendida, tanto na triagem quanto no guichê, mas, convenhamos: o tempo é longo. Tanto que a orientação de ir à JEC, no Foro Central, ficou incompleta, não consegui fazer tudo numa tarde, pois cheguei lá às 18h e para abrir processos é preciso chegar até às 17h30min (horário em que saí do Procon) e ir à sala 342, no 3º andar. É preciso registrar que lá a recepção também foi ótima e ainda me indicaram levar pronto o relato do caso para economizar tempo, e ir ao meio-dia, horário em que há mais pessoas para atender. 


Quanto ao Procon, ainda, preciso registrar uma infeliz contradição com relação à notícia abaixo: durante meu atendimento o rapaz que me atendia atendeu um telefonema no qual a pessoa reclamava do não cumprimento do prazo de retorno do atendimento online. Então o atendente e outro colega me explicaram: hoje apenas uma pessoa está efetivamente dando estes retornos, pois uma pessoa saiu em férias e duas saíram. Em tempos de falências e saídas de mercado, como a das Casas Bahia, em pleno final de ano, é complicado...  

Procon divulga número de atendimentos

Mediação via Internet chega a 47,6% do total

O Procon Porto Alegre, órgão de defesa do consumidor vinculado à Secretaria Municipal de Produção, Indústria e Comércio (Smic), registrou em 2009 cerca de 24 mil atendimentos à população da Capital. Deste total, 47,6% das demandas que chegaram ao Procon foram solucionadas pela Internet através dapágina do órgão, por meio do Atendimento Eletrônico – via Web. No final de 2008 este índice estava em 25%.

“Os dados demonstram que os porto-alegrenses aprovaram a eficácia do formulário eletrônico do Procon, aplicativo da página do órgão na Internet que permite atendimento online 24h, inclusive nos finais de semana”, avalia o titular da Smic, Idenir Cecchim. O Procon faz a mediação do conflito via Web e encaminha ao consumidor o resultado dos procedimentos por e-mail ou telefone, no prazo de até dez dias.

No rol das reclamações totais do Procon municipal, o setor que mais apresenta queixas é o de produtos, com 31,84% das reclamações, pois tradicionalmente envolve centenas de fornecedores e milhares de produtos. A área de serviços essenciais, que reúne fornecedores de telefonia e energia elétrica, vem logo após registrando o total de 3.204 reclamações (25,63%). Em terceiro lugar está o segmento de assuntos financeiros, que englobam operações com cartão de crédito e financeiras, registrando 2.756 (22,05%). A quarta área mais reclamada refere-se a serviços privados composto por empresas de TV por assinatura e provedores de Internet com 2.234 atendimentos (17,87%). “Aproximadamente 83% das demandas da população que chegam ao Procon são resolvidas na hora ou em até dez dias úteis”, ressalta o titular da Smic.

A equipe de fiscalização do Procon Porto Alegre esteve presente em mais de oito mil estabelecimentos comerciais, como postos de gasolina, shoppings, hipermercados, bares, restaurantes e revendas de veículos. Com o objetivo de averiguar a afixação de preços em vitrines e a disponibilização aos clientes das diversas formas de pagamento à vista, os fiscais do Procon visitaram em um ano cerca de dois mil pontos comerciais.  Nestas ações, foram notificados 345 estabelecimentos e autuadas outras 125 lojas. O setor recebeu 65 denúncias da população.  O Procon realizou ainda 222 pesquisas de acompanhamento de preços na Capital, em 2009.

O órgão promove também ações visando educar consumidores e fornecedores. Em 2009 foram entregues à população 20 mil exemplares do Manual do Lojista e 60 mil do Manual do Consumidor Consciente. Implementado pelo Procon Porto Alegre para divulgar direitos e deveres dos consumidores a crianças e adolescentes, o projeto Educação para o Consumo, desenvolvido pelo Procon desde o segundo semestre de 2008 junto à rede de ensino pública da Capital, realizou 60 palestras nas escolas da rede pública municipal. Durante as exposições, foram distribuídas cerca de oito mil cartilhas denominadas Pequenos Consumidores, que contêm a adaptação do Código de Defesa do Consumidor para crianças.


A propósito: nos dias 14e 15 de março vai haver uma Feira do Consumidor na Redenção. Boa oportunidade para quem não quer ou não pode seguir as dicas acima. 


Em breve aqui (e/ou no Twitter, que também aparece ao lado neste blog)mais capítulos do andamento das minhas "incursões" na área dos Direitos do Consumidor - aliás, lembrei dos tempos em que, na adolescência, me diziam que se não fosse jornalista, devia fazer Direito. Em tempo: causas pequenas, na JEC, não necessitam de contratação de advogados, e correm independentes do processo do Procon, que é uma tentativa de resolver logo o mínimo possível. Além disso, acho importante registrar os casos nos órgãos públicos, para fins, no mínimo, de estatística e levantamento de empresas idôneas ou que, no mínimo, geram menos problemas.

quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

Entra no ar Biblioteca Virtual da Fundação Bienal do Mercosul


Estão disponíveis no site http://www.bienalmercosul.art.br/ livros, imagens, vídeos e documentos de arte contemporânea e as sobre as sete edições da Bienal do Mercosul, incluindo histórico de logomarcas, curadorias, artistas e fotos, além de um guia do acervo. As informações abaixo, repassadas por meio de newsletter, trazem maiores detalhes sobre a iniciativa.


A nova Biblioteca Virtual da Fundação Bienal do Mercosul já está disponível através do site www.bienalmercosul.art.br. Nos links "Biblioteca Virtual" e "Bienais Anteriores" os pesquisadores podem ter acesso aos mais de 16 mil itens do acervo do Núcleo de Documentação e Pesquisa da Fundação Bienal do Mercosul – NDP, composto por documentos textuais, audiovisuais, eletrônicos e iconográficos sobre as Bienais do Mercosul e arte contemporânea latino-americana.
O Núcleo de Documentação e Pesquisa – NDP, criado em outubro de 2004, é um setor institucional e permanente da Fundação Bienal do Mercosul que tem por objetivo zelar pelo patrimônio histórico da Instituição. O acervo físico do NDP - que tem funções de arquivo e biblioteca - é composto por materiais audiovisuais com mais de 1.500 peças digitalizadas (VHS, U-Matic, fitas cassetes, CDs e DVDs); acervo bibliográfico com mais de 2.500 volumes (livros, catálogos e periódicos) sobre arte contemporânea, artistas, arte-educação, entre outros, e acervo iconográfico com 5.000 imagens digitalizadas (fotos em papel, cromos, slides e negativos) sobre obras, artistas e exposições da Bienal do Mercosul, dentre as mais de 16 mil imagens catalogadas. O acervo textual inclui cerca de 8.000 registros de documentos sobre a origem da Bienal de Artes Visuais do Mercosul e o projeto pedagógico, a produção executiva e dossiê dos artistas participantes das Bienais do Mercosul.
A reformulação da Biblioteca Virtual começou em agosto de 2008, com aprovação de projeto pelo Ministério da Cultura através da Lei Rouanet. O projeto previa a digitalização e preservação do acervo do NDP, o gerenciamento das informações através da criação de um banco de imagens e da estruturação da área de Tecnologia da Informação, além da realização do Seminário sobre Preservação e Disponibilização Eletrônica de Acervos Históricos e Culturais, ocorrido em outubro de 2009. Um terminal para consultas, hoje instalado na sede da Fundação Bienal do Mercosul, também está disponível aos interessados. Segundo a coordenadora do NDP, Fernanda Ott, "a revitalização da Biblioteca no site da Bienal possibilita o acesso digital a grande parte dos materiais, além de fornecer a lista completa da documentação existente no acervo da Fundação Bienal do Mercosul, disponível também para consulta física". A consulta presencial ao acervo do NDP por professores, estudantes, pesquisadores e público interessado em geral é conduzida por meio de atendimento individualizado, com agendamento prévio, e de forma gratuita. O agendamento pode ser realizado através do telefone 51 3254 7500 e pelo email memoria@bienalmercosul.art.br.
Nos anos de 2008 e 2009, foram realizados 221 atendimentos ao público. O NDP também oferece suporte aos curadores das Bienais do Mercosul para o planejamento e a execução do Projeto Curatorial de cada evento, realizando pesquisas sobre artistas e temas relacionados às Bienais e à arte contemporânea.

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Exposições gratuitas em Porto Alegre

O Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul - MUHM (Av. Independência, 270, Centro, Porto Alegre-RS - Prédio histórico do hospital Beneficência Portuguesa) está com duas exposições abertas a visitação gratuita e com horário diferenciado durante o Verão. De 3ªs a 6ªs-feiras a partir das 12h e sábados, domingos e feriados, a partir das 15h, sempre até às 20h. Mais informações pelo fone (51) 3029-2900 ou www.muhm.org.br.

Compartilhando Memórias: o MUHM e seus Doadores 
A mostra homenageia aqueles que ajudaram e continuam ajudando a compor o acervo do museu, por meio de doações de objetos, livros, fotografias e outros documentos. Até abril de 2010.


DESAFIOS: A Medicina e a luta pela vida 
Aborda as transformações ao longo da História da Medicina. A busca por conhecimentos para desenvolver a saúde, combater as doenças, aliviar a dor, prolongar a vida e torná-la é mostrada em seis eixos: o conhecimento médico, os costumes, o diagnóstico, as especialidades, as causas das doenças e os tratamentos. Permite discutir questões de hábitos como o de lavar as mãos e as vacinas e seus reflexos na saúde pública. Exposição de longa duração.




segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Outros carnavais






(Foto: Divulgação StudioClio)


O StudioClio "antecipa o período de Momo" trazendo Geraldo Flach (piano) e Victor Hugo (voz), acompanhados de Fernando do Ó (percussão), com músicas inesquecíveis e permanentes dos carnavais de todos os tempos, desfilando sucessos como "Máscara Negra", "Maracangalha", marchinhas de salão e sambas que foram sucesso no passado e ainda habitam o imaginário da folia popular e que dão nome ao show "Tantos Carnavais". Serão apresentados clássicos de grandes compositores brasileiros como Chico Buarque (Quem te viu, quem te vê), Noel Rosa (As Pastorinhas), Paulinho da Viola (Foi um rio que passou em minha vida), Tom Jobim/Vinícius de Moraes (A Felicidade) e Carlos Lyra (Marcha da quarta feira de cinzas).
Quando: 19 de janeiro, terça-feira
Horário: 21h
Valores:
Plateia: R$ 30,00 (público geral) e R$ 20,00 (professores, estudantes e idosos)
Lugar em mesa: R$ 40,00 (público geral) e R$ 30,00 (professores, estudantes e idosos)


Mais informações em  www.studioclio.com.br.

Nei Lisboa no Teatro Renascença

Está começando agora o primeiro dos três shows que Nei Lisboa fará no Teatro Renascença, sempre às 21h. Os próximos serão nos dias 18 e 25 de janeiro, com diferentes tipos de descontos para diferentes tipos de públicos.


MUHM sedia oficina de conservação de acervos




O Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul (MUHM) e a 1ª Região Museológica do Sistema Estadual de Museus (SEM/RS) da Secretaria da Cultura do Estado do RS, promovem, nos dias 21 e 22 de janeiro de 2010, das 9h às 12h e das 13h às 17h30min, oficina de Conservação de Acervos com a professora Andréa Lacerda Bachettini. O custo da oficina varia de R$ 5 a  R$ 10 reais, e é voltado prioritariamente para profissionais de museus, mas também é aberto a estudantes e interessados em geral. Inscrições e informações pelo e-mail semrs@via-rs.net ou pelo telefone (51) 3286-2037. A ficha de inscrição a ser enviada para o SEM/RS também está disponível no site do museu - www.muhm.org.br.  


Oficina de Conservação de Acervos

Ministrante: Andréa Lacerda Bachettini - especialista em Conservação e Restauração de Bens Culturais - UFMG, mestre em História - PUC-RS e professora do Curso de Bacharelado em Conservação e Restauro de Bens Culturais - UFPel.
Data: 21 e 22 de janeiro de 2010
Horário: das 9h às 12h e das 13h às 17h30min
Local e Endereço:
Sala Rita Lobato do
Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul
Av. Independência, 270 - Centro - Porto Alegre RS
Público Alvo: profissionais dos Museus cadastrados no SEM/RS, estudantes interessados e demais profissionais.

Investimento:
- profissionais dos Museus cadastrados no SEM/RS e estudantes - R$ 5,00 (cinco reais)           
- profissionais de Instituição não cadastrada no SEM/RS e demais profissionais - R$ 10,00 (dez reais) 
 
Inscrições: semrs@via-rs.net (preencher ficha de inscrição, em anexo, e remeter)

ATENÇÃO
:
A inscrição só será efetivada após confirmação por parte do SEM/RS.

Informações: e-mail: semrs@via-rs.net ou fone/fax (51) 3286 2037 

Vagas limitadas.

Ementa:
Os museus e suas funções. Conceitos de preservação, conservação e restauração. Breve histórico da preservação de bens culturais. Fatores de degradação: ação humana, condições ambientais, ataques biológicos e reações químicas. Documentação e conservação preventiva: elaboração de diagnóstico e plano de conservação. Procedimentos técnicos e rotinas de acondicionamento, manuseio, embalagem e transporte. Política de conservação de acervos.






quinta-feira, 7 de janeiro de 2010

Seminários temáticos sobre Comunicação na PUCRS em Fevereiro

Embora não vá estar em Porto Alegre na data, em fevereiro vão acontecer diversos seminários sobre Comunicação na PUCRS. Fica como opção para quem estiver na cidade e não estiver trabalhando ou viajando, pois serão à tarde. Há ainda uma exposição sobre o tema.



De 3 a 7 de Fevereiro na PUCRS
http://muticom.org/inscricoes/category/programacao-e-eixos-tematicos/



SEMINÁRIOS TEMÁTICOS
Coordenados por acadêmicos e com a participação ativa dos comunicadores presentes com o objetivo de debater e aprofundar um aspecto do tema central. Acontecem na parte da tarde, das 14 às 17 horas.
Dia 4 de fevereiro
  • Novo cenário político regional e políticas de comunicação
    Painelista: Rosa Alayza (Perú)
    Coordenador: Edelberto Behs (Brasil)
    Local: Prédio 05
  • Novos processos de comunicação nos diferentes atores sociais
    Painelista: Wrana Panizzi (Brasil)
    Coordenador: Miguel Millar (Chile)
    Local: Prédio 32
  • Meios públicos e direito à comunicação
    Painelista: Guillermo Mastrini (Argentina)
    Coordenador: Agostinho Sauthier (Brasil)
    Local: Prédio 15
  • Ética da comunicação na perspectiva de direitos
    Painelista: Gabriel Jaime Pérez (Colômbia)
    Coordenador: Elson Faxina (Brasil)
    Local: Prédio 50
  • Comunicação ante o Deus da esperança
    Painelista: Joana Puntel
    Coordenador: Arno Frelich (Brasil)
    Local: Prédio 11
Dia 5 de fevereiro
  • Concentração da propriedade nas comunicações e relações de poder
    Painelista: Martín Becerra (Argentina)
    Coordenadora: Ana Bélgica (República Dominicana)
    Local: Prédio 05
  • Sociedade da informação, processos de digitalização e convergência tecnológica
    Painelista: Carlos Eduardo Cortés (Colômbia)
    Coordenador: Pablo Ramos (Cuba)
    Local: Prédio 32
  • Nova realidade econômica latino-americana e suas conseqüências na comunicação
    Painelista: Pedrinho Guareschi (Brasil)
    Coordenador: Oscar Fajardo (Perú)
    Local: Prédio 15
  • Economia solidária e processos de comunicação
    Painelista: Paul Singer (Brasil)
    Coordenador: Antonio Camacho (México)
    Local: Prédio 50
  • Deus como "mercadoria" na era digital
    Painelista: Leomar Brustolin (Brasil)
    Coordenador: Arno Frelich
    Local: Prédio 11
Dia 6 de fevereiro
  • Comunicação nas diferenças e no conflito
    Painelista: Jesús Galindo Cáceres (México)
    Coordenador: Gustavo Andújar (Cuba)
    Local: Prédio 05
  • Comunicação no diálogo ecumênico e inter-religioso
    Painelista: Dennis Smith (Guatemala)
    Coordenador: Michel Bohler (Perú)
    Local: Prédio 32
  • Novas linguagens nos processos de inculturação do Evangelho
    Painelista: Paulo Suess (Brasil)
    Coordenadora: Alma Montoya (Colômbia) .
    Local: Prédio 15
  • Comunicação dos silenciados e processos de resistência
    Painelista: María Cristina Mata (Argentina)
    Coordenador: Edelberto Behs (Brasil)
    Local: Prédio 50
  • Teologia e comunicação na sociedade do conhecimento
    Painelista: Mons. Urbano Zilles (Brasil)
    Coordenador: Arno Frelich (Brasil)
    Local: Prédio 11
Dia 7 de fevereiro
Exposição sobre Processos de Comunicação e Cultura Solidária: construção de cenários de futuro, a cargo do comitê acadêmico do Mutirão: síntese dos trabalhos e da proposta da carta.
Coordenador: Washington Uranga (Argentina)
Debate aberto com intervenção dos participantes.
Síntese de todos os trabalhos e encaminhamentos finais.
Local: Salão de Eventos
Plenário conclusivo sobre a Carta de Porto Alegre
Local: Salão de Eventos



Valsando no verão de Porto Alegre



Começa hoje (07) a 16º edição da Mostra de Dança Verão, no Teatro Renascença (Av. Erico Verissimo, 307). Serão mais de 40 coreografias de alguns dos melhores profissionais e grupos da cidade, entre dança de rua, tango, balé, dança do ventre, samba, flamenco, salsa, dança contemporânea e jazz, e outros. Meu destaque pessoal é para o espetáculo Valsando, que assisti em 2009 e me apaixonei pelo figurino - de Nilma Correa - e pelo bom gosto do cenário e da iluminação. O espetáculo, viabilizado pelo Fumproarte, encerra a programação domingo (10) e será apresentado gratuitamente. Nas demais noites os ingressos custam R$ 10.
Na programação estão trabalhos de Anette Lubisco, Alexandre Rittmann, Didi Pedone, Ivan Motta, Tracy Freitas, Susana Dávila e  Carmen Pretto, além do coreógrafo Aldo Gonçalves, da Essência Companhia de dança, responsável pelo "Valsando". Há ainda as Cias Balé Maria Cristina Futuro, Hackres Crew e Batida de Rua. Neste ano, a Mostra também estará promovendo uma oficina especial de dança contemporânea com o coreógrafo Newton Moraes. As apresentações ocorrem sempre às 21h. Outras informações podem ser obtidas no Centro Municipal de Dança, pelo telefone 32898065 ou pelo e-mail centrodedanca@smc.prefpoa.com.br.