Espaço para comentar notícias, falar sobre o cotidiano, política, comunicação, e a cultura que nos leva a ser quem somos. Ou será o contrário?

terça-feira, 20 de outubro de 2009

Dia do Arquivista: política e acesso à informação

Hoje recebi um e-mail do Sinarquivo sobre uma carta enviada pela entidade aos parlamentares para que façam homenagens pelo Dia do Arquivista, que se comemora hoje, 20 de outubro. Bom, o conteúdo da carta eu não só apoio como divulgo, mas a estratégia, eu sou TERMINANTEMENTE CONTRA. Os parlamentares já ficam só de terça a quinta-feira trabalhando - mesmo que às vezes até mais tarde, é verdade, mas em geral por interesses bem específicos. E há outro detalhe: essas homenagens, títulos de cidadãos, prêmios, etc, em geral só geram mais CUSTOS aos cofres públicos, ou seja, o nosso bolso. É gasto com convite, tempo dedicado, para não dizer perdido. Etc, etc, etc, etc.

Acho que vale mais a pena iniciativas como o Prêmio Mário Pedrosa, que estimula jornalistas a dar atenção a pautas sobre museus, ou algo do gênero que incentive estudantes a escreverem, fazerem trabalhos sobre o tema, ou instituições a promoverem eventos que resultem em capacitação...

Mas enfim: a causa é nobre, então, faço a minha parte na difusão da profissão e de tudo o que está relacionado a ela, afinal, é a qualidade de nossos arquivos e acervos em jogo.

ARQUIVISTA: Um profissional estratégico na sociedade do conhecimento.

No dia 20 de outubro é comemorado o dia do ARQUIVISTA. Conheça mais sobre a formação e qual o papel dele no seu negócio.

O exercício da profissão de ARQUIVISTA só é permitido, segundo a lei 6.546/78 que regulamenta a profissão, aos diplomados por Curso Superior em Arquivologia, ou aqueles que na época de publicação da Lei comprovaram pelo menos, cinco anos ininterruptos de atividade ou dez intercalados. Estes foram, em 1978, provisionados, e receberam registro de ARQUIVISTA. Ainda segundo a lei, estes profissionais precisam se registrar na Superintendência Regional de Trabalho e Emprego - SRTE, órgão vinculado ao Ministério do Trabalho e Emprego – MTE.

Muitas pessoas acreditam que documentos antigos, empoeirados e amarelados são as ferramentas de trabalho que um ARQUIVISTA utiliza no seu dia-a-dia. No entanto, trata-se de apenas mais uma das muitas confusões que ocorre quando se fala nessa profissão, assim como a equiparação (errônea) que se costuma criar entre o ARQUIVISTA e o Bibliotecário, ou ainda com o Historiador.

O ARQUIVISTA é o profissional capaz de recuperar, no menor tempo possível, uma informação armazenada em qualquer que seja o suporte, seja ele físico, digital ou virtual. A gestão arquivística de documentos e informações implica atuação na produção, tramitação, uso, arquivamento, recuperação e classificação de documentos que vão desde certidões de nascimento até documentos sigilosos de guerra, passando por relatórios fundamentais a uma rápida e eficaz tomada de decisão gerencial. A consulta ao documento certo, sem perda de tempo, garante decisões rápidas, tão fundamentais no competitivo universo corporativo, além de possibilitar um planejamento estratégico mais eficiente.

Muitas organizações estão procurando ARQUIVISTAS para organizar a distribuição e o armazenamento de informações da empresa. Vários concursos públicos estão buscando profissionais formados em Arquivologia, para facilitar a tomada de decisão por parte dos administradores. Isso está diretamente relacionado a modernização do Estado Brasileiro. Este Estado moderno, atento ao valor da informação e do conhecimento, valoriza cada vez mais o ARQUIVISTA. Para se ter uma idéia, apenas nos últimos 5 anos mais de 350 vagas para ARQUIVISTAS foram criadas, através de concursos públicos, somente no Poder Executivo Federal. O desafio agora é levar esta expressividade de vagas para os demais poderes e níveis de poder, que no mesmo período, juntos abriram apenas cerca de 150 vagas. Ao buscar um estágio, em geral, o estudante não encontra dificuldades, pois o número de oportunidades costuma ser maior do que o número de estudantes.

Hoje muitas áreas do conhecimento têm percebido a Arquivologia como um diferencial competitivo no desenvolvimento de suas atividades, justamente pelo vetor informacional que o ARQUIVISTA consegue agregar às atividades onde atua. As técnicas e princípios da arquivologia têm garantido a muitas empresas obterem cases de sucesso em seus projetos.

A profissão de ARQUIVISTA encontra-se em efetiva ascensão, com diversificado mercado de trabalho: arquivos históricos e administrativos, arquivos empresariais, arquivos pessoais, centros de documentação e memória, arquivos especializados, consultorias arquivísticas, serviços ou redes de informação, órgãos de gestão do patrimônio cultural, gerenciamento Eletrônico de Documentos, Inteligência Competitiva, Gestão do Conhecimento, Gestão da Qualidade, etc...

Ainda existe um estigma de que uma pessoa que trabalha com arquivos tem uma ocupação monótona e que lida apenas com um monte de papéis velhos, mas fica patente a cada dia que, quem já percebeu o quanto o ARQUIVISTA pode contribuir no apoio à gestão, especialmente na era da informação, está partindo na frente no mercado e obtendo excelentes resultados.

Portanto, neste dia 20 de outubro, dia do ARQUIVISTA, faça uma reflexão da importância deste profissional e dê a ele seu devido valor.

Daniel Beltran
Presidente do SINARQUIVO
Sindicato Nacional dos Arquivistas e Técnicos de Arquivo

Um comentário:

Beltran disse...

Prezado Jornalista,

Primeiramente agradeço muitíssimo a ajuda na divulgação.

Apenas faço uma ressalva:

Teremos alguns parlamentares que farão discursos em plenário, utilizando seu tempo já pré-determinado e portanto isso não gera custo adicional algum.

Além disso, como um Sindicato novo, que ainda busca registro sindical e não tem ainda, receita, buscamos uma ação política sem custos.

Por fim, o e-mail enviado, na verdade foi um reenvio, pois inicialmente enviamos a mesma mensagem 10 dias antes.

Abraços e obrigado.