Espaço para comentar notícias, falar sobre o cotidiano, política, comunicação, e a cultura que nos leva a ser quem somos. Ou será o contrário?

quarta-feira, 30 de dezembro de 2009

Mulher do futuro, ou será do passado? Certamente não do presente...

Deu na revista Galileu: a mulher do futuro será baixinha e gordinha. Mas antes que aquelas que não estão no padrão da moda fiquem muito felizes, já aviso que esta é uma teoria baseada no conceito de involução, de que o ser humano está cada vez mais fraco em relação ao passado, graças aos avanços da medicina que fazem com que aqueles que normalmente sucumbiriam resistam. Também dizem que estas mulheres serão capazes de gerar mais filhos.




Ao menos o quesito "rechonchuda" não é novidade, basta lembrar os tempos da Renascença e um sem número de pinturas clássicas. Fato é que atualmente não é esse o tipo valorizado, e nem é possível ficar refém da moda para o corpo, até mesmo porque há coisas que não há como mudar, como a altura, embora o padrão possa mudar - a modelo Twiggy revolucionou o cenário com a sua magreza, mas era baixinha, especialmente comparada às modelos atuais. Fato também é que as pessoas utilizam muito mal as conquistas da medicina, apenas procurando resolver problemas imediatos. A máxima é velha: o caminho do meio. Mas a questão não é estética, é de evolucionismo quanto à questão saúde. E em tempos de verão, apesar da moda ser o bronzeado e de toda branquela sentir-se um peixe-fora d'água, protetor é regra. Quanto ao peso e às dobrinhas, nem tão magra que não pare em pé, nem tão gorda que não tenha fôlego. Ou seja: manter peso e hábitos saudáveis.  Uma boa meta para o ano que inicia.


terça-feira, 29 de dezembro de 2009

Tempos de saraus: de elétricos a líricos



O Sarau Elétrico em janeiro vai ter como tema "Compositores que escrevem", com nomes da música nas leituras e na 'canja'. O evento acontece todas as terças, no Bar Ocidente, a partir das 21h com custo de R$ 10 e apresentação de Luís Augusto Fischer, Cláudio Moreno, Claudia Tajes e Katia Suman. A programação divulgada:
05/01: ARTHUR DE FARIA, autor de Um século de música, fala de samba.
Canja dele mesmo e da patroa, a atriz e cantora ÁUREA BAPTISTA, com sambas clássicos brasileiros, de Noel a Assis Valente, de Cartola a Braguinha.
12/01: HUMBERTO GESSINGER apresenta seu novo livro, Pra Ser Sincero: 123 Variações Sobre um Mesmo Tema, e encerra a noite tocando suas grandes músicas.
19/01: VITOR RAMIL, autor de Pequod e Satolep, fala da sua literatura e do seu processo de criação. E ainda dá uma canja na finaleira.
26/01: NEI LISBOA encerra a série falando de seus livros, a novela Um morto pula a janela e a coletânea de crÃ?nicas É Foch!. E depois canta suas músicas para o respeitável público.
.~.~.~.~.~.~.~.~.~.~.


Já no dia 07 de janeiro é dia de Sarau Lírico no Museu de História da Medicina com a soprano Vera Campos e o pianista Sílvio Correa. Os Saraus Líricos acontecem sempre na 1ª quinta-feira de cada mês dentro do projeto Quintas no Museu, com apoio da Associação Gaúcha de Cultura Musical, e do mantenedor do MUHM, o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul. Excepcionalmente durante o horário de verão a atividade inicia às 18h30min. Em fevereiro não haverá Sarau.

Os eventos são realizados sempre na sala Rita Lobato do MUHM, que fica na av. Independência, 270, Centro de Porto Alegre (Prédio Histórico do Hospital Beneficência Portuguesa). A entrada é gratuita e há estacionamentos próximos ao local.


Compartilhando Memória no ano que vai nascer

Compartilhando Memórias: o MUHM e seus doadores é uma exposição que valoriza a política de acervo e as pessoas que os confiam a museus e que continua em cartaz no Museu de História da Medicina. Visitações de terças a domingos e com horário especial de verão. Atenção apenas para o período de festas, que é diferenciado. Entrada gratuita e com possibilidade de agendar visitas mediadas para grupos. Mais informações em http://www.muhm.org.br.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Em obras: 2010 chegando, promessas a cumprir


Eu prometo que não vou prometer nada para o próximo ano, a não ser que vou tentar cumprir as promessas que já me fiz anteriormente. Mas falando em promessas, aí vai uma que PARECE que finalmente começa a ser cumprida, pois por enquanto está só comprida: despoluição do Guaíba. Começaram a chegar as tubulações, a conferir e acompanhar BEM de perto. Será que um dia a Ipanema gaúcha vai voltar a ser o que era e ainda dar para botar o pé na água por lá? Por enquanto, promessas. Inacreditável que o esgoto de Porto Alegre tenha ainda o tratamento que tem... Mais informações no site da Prefeitura, origem também da foto deste post (Cristine Rochol/PMPA).

2010 chega a pé em Porto Alegre


Comemorações em Porto Alegre vão exigir pernada: é que para os shows de fogos e de artistas, entre eles Jair Rodrigues, a Prefeitura já divulgou os bloqueios de trânsito que vão acontecer na área a partir das 21h. Ou seja, quem pretende assistir, precisa se organizar para ver onde estacionar e como voltar. No link http://www2.portoalegre.rs.gov.br/cs/default.php?reg=120560&p_secao=3&di=2009-12-28 também estão disponíveis os ônibus para quem não quer se estressar com trânsito e estacionamento, ou simplesmente quer tomar umas a mais na virada. Lembrando que apesar dos táxis estarem cada vez mais difíceis de conseguir na cidade quando há feriado ou chuva, eles existem. Na foto, imagem do Reveillon passado (Vinícius Reis/PMPA)

sábado, 26 de dezembro de 2009

Ano Novo, layout novo para o blog


Passado o Natal, já estamos quase em 2010, e resolvi fazer uma mudança no layout do blog para ficar mais leve e também para variar um pouco. Enfim, que venha o novo ano e que ele seja bem melhor que o que terminou em todas as áreas. Nas imagens, charge do Simch do Blog da Grafar e imagem da Fotolia.


terça-feira, 22 de dezembro de 2009

Por um Natal menos surreal


Caganer
Upload feito originalmente por Escrivinhadora
Visitando Barcelona um amigo de lá perguntou se a gente realmente passa o Natal com um Papai Noel cheio de roupas se estamos em pleno verão... eu respondi que sim e lá veio a pergunta: mas isso não é surreal? Totalmente! Pois então ponto para a Catalúnia, que tem uma tradição muito peculiar, a do Caganer e a do Tío, que são incorporados aos presépios (ou preseberes, em catalão). É genial. Quer saber mais? Acesse http://www.caganer.com e http://en.wikipedia.org/wiki/Caganer (em inglês, mas bem completo). O primeiro link tem vídeos e os "personagens" baseados em celebridades.

Aqui no RS podíamos fazer um presépio gaudério e sei lá, um Negrinho do Pastoreio como símbolo máximo... ou se fosse uma versão nacional, a essas alturas eu votava no Chacrinha como bom velhinho... bem mais identificado...

segunda-feira, 21 de dezembro de 2009

Em férias



Nada como estar de pernas pro ar...




... e poder ver não só o que acontece mundo afora...




... como também a agenda local...



... seja para quem é de fora como para quem é da cidade...



... sempre tem algo para fazer...



... Porto Alegre se ilumina para as festas de final de ano.


quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Vale-cultura aprovado no Senado; agora retorna para a Cãmara

O Senado aprovou a criação do vale-cultura e agora decisão volta para a Câmara. O projeto de lei (PLC 221/09, da Câmara), iniciativa do presidente da República, institui o Programa de Cultura do Trabalhador e cria o vale-cultura, com caráter pessoal e intransferível, válido em todo o país. O vale-cultura, conforme o projeto, dará acesso a produtos e serviços culturais no âmbito do Programa de Cultura do Trabalhador, e deverá ser oferecido aos trabalhadores com carteira de trabalho assinada e que têm renda mensal de até cinco salários mínimos.

O objetivo é incentivar o trabalhador a frequentar cinemas, teatros, museus, shows e exposições, e também adquirir livros, CDs e DVDs, entre outros produtos culturais. Na Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ), a proposta foi aprovada com emenda do relator, senador Flexa Ribeiro (PSDB-PA), para incluir periódicos entre produtos que podem ser adquiridos com o vale-cultura.

De acordo com o projeto, o vale-cultura será de R$ 50 por mês para os trabalhadores em atividade. Os aposentados terão direito a R$ 30 mensais. Até 10% do valor do vale-cultura poderão ser descontados da remuneração desses trabalhadores, de acordo com a proposta.

Quando esses trabalhadores que recebem até cinco salários mínimos tiverem sido atendidos, os com maior renda também poderão receber o benefício. Nesse caso, o desconto poderá ocorrer em percentuais entre 20% e 90%, de acordo com a respectiva faixa salarial, na forma do regulamento.

As empresas que declaram Imposto de Renda com base no lucro real poderão aderir ao vale-cultura e terão direito a deduzir até 1% do imposto devido.

Peru em imagens: de Lima a Machu Picchu

Miraflores em Lima e a Cusco que recepciona os visitantes rumo a Machu Picchu surpreendem, e a visão da cidade sagrada é algo muito particular. Um pouco do país vizinho que assim como o Brasil tem uma beleza incrível mas contrastes tão marcantes quanto os nossos.



Viajar ao Peru é quase sempre ir a Machu Picchu, mas sempre surgem dúvidas com relação à melhor e mais barata maneira. Particularmente acredito que o roteiro pode ser feito de forma totalmente independente, comprando passagens aéreas ou de ônibus para os locais. Lembrando que de Lima a Cusco são aproximadamente 23 horas de viagem, em veículo extremamente confortável, mas só com uma parada nesse tempo todo, o que quer dizer que não adianta ir por esse meio para conhecer melhor o país porque vai passar "batido".

Para quem viaja sozinho, tem um pouco de medo de altura mas ainda quer ir ao local, mesmo que não da forma mais radical, a dica é pegar agências de viagem e guias para esses trechos. Eu usei os serviços da Viva Tours/Peru Expeditions e recomendo, tanto pelo cumprimento do que foi combinado como pela atenção com o cliente em todos os momentos. Os preços variam, eu reservei um hostel por minha conta, mas paguei mais pela passagem por deixar para a última hora. Mas o "a mais" embutido no lucro da agência valeu a pena pela assistência geral, as informações dos guias, o conforto, o capricho na escolha dos locais, dos restaurantes, de contratação de seguro de acidentes pessoais, etc.

Quem acha que dá conta sozinho, no entanto, é bem fácil comprar os ingressos tanto para o trem como para o parque, e a maior parte das coisas dá para resolver pela Internet, mesmo.

Um parêntese sobre as agências e guias: é incrível a estrutura e a movimentação e envolvimento que se vê pelas manhãs de Cusco, quando são buscados e reunidos os turistas que vão para destinos comuns.

Cuy Arts é o Peru de bom humor




Quem visita o Peru vai encontrar  uma infinidade de atrativos naturais e comerciais, mas o destaque é para a Cuy Arts - http://www.cuy-arts.com/ pela originalidade das camisetas, que além de tudo são 100% algodão e por enquanto não estão à venda no exterior... mas não é só, há bloquinhos, mouse pad e outras coisas do gênero.





Grupos de viagens e albergues em Porto Alegre

A partir de 2010 Porto Alegre também terá albergue da juventude: http://www.hostel.tur.br/hostel_poa.php?nome=PORTO+ALEGRE.  Quem procura grupos para viajar pode consultar ainda os site www.excursoesuniversitarias.com.br/inicio.htm  de alunos da UFRGS, ou ainda o site http://www.mochileiros.com/.

terça-feira, 8 de dezembro de 2009

Conferencia Nacional de Comunicação é dia 14 em Brasília

O evento promete: o credenciamento de imprensa está aberto e as inscriçoes para observadores foram tumultuadas. O que está em jogo? Muita coisa... Saiba mais no blog http://proconferencia.org.br

1ª Conferência Nacional de Comunicação (Confecom)
DATA: 14,15, 16 e 17 de novembro de 2009
LOCAL: Centro de Convenções Ulysses Guimarães
INFORMAÇÕES: http://www.confecom.com.br



Porto Alegre: dia 11 acontece a II Conferência Estadual de Cultura na AL



A II Conferência Estadual de Cultura pretende discutir e definir as propostas do Rio Grande do Sul para Cultura a partir dos eixos propostos para a Conferência Nacional. Em Porto Alegre, dia 11 de dezembro de 2009, no auditório Dante Barone da Assembleia Legislativa, das 8h30min às 18h.

Recursos para museus e projetos culturais

Vem sendo divulgas desde a última semana a liberação de recursos para a área da cultura. Serão R$ 70 milhões para museus e mais R$ 29 milhões em editais para projetos culturais. O detalhamento está em http://blogs.cultura.gov.br/blogdarouanet/2009/12/04/museus-receberao-r-70-milhoes-em-2010/ e http://blogs.cultura.gov.br/blogdarouanet/2009/12/03/editais-e-projetos-culturais-receberao-r-293-mi/.

Credenciamento de imprensa para a Confecom

Iniciou nesta segunda-feira (07) o credenciamento para cobertura da 1ª Conferência Nacional de Comunicação (1ª Confecom), programada para acontecer entre 14 e 17 de dezembro, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília (DF). As solicitações de credenciamento devem ser encaminhadas para o endereço eletrônico assessoria.imprensa@confecom.com.br até as 20h de quinta-feira, dia 10 de dezembro. Não serão consideradas solicitações enviadas após este prazo. O credenciamento está sujeito à aprovação.

 

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

Próximos posts em ritmo lento

Os leitores que me desculpem, mas sairei uns dias para viajar e curtir as férias. Enquanto isso, como a primeira atividade de férias foi com a ala infantil da família, a dica é o desenho que estreia dia 11 e que já vi e recomendo: A Princesa e o Sapo. Não se deixe levar pela sinopse inicial. E, se houver uma nova oportunidade, não percam o espetáculo Valsando, da Essência Cia. de Dança. Figurino, iluminação e coreografia lindos.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

II Encontro nacional da Rede de Educadores em Museus

Acontece na próxima semana o II Encontro nacional da Rede de Educadores em Museus.
Mais informações:




quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Pontaria virtual e feminismo (ou apenas praticidade)

Essa é a versão capitalista de oficina já oferecida em pelo menos uma edição Fórum Social Mundial em Porto Alegre.


quarta-feira, 25 de novembro de 2009

14ª Mostra Internacional do Filme Etnográfico

Mais uma no Rio, mas que vale a pena conferir, sugestão recebida de uma colega da área e leitora. O 14ª  Mostra Internacional do Filme Etnográfico vai ter mais de 100 filmes e promoverá oficinas, debates e fóruns.





14ª  MOSTRA INTERNACIONAL DO FILME ETNOGRÁFICO
O Cinema e a Antropologia tiveram sempre uma íntima relação de cooperação na valorização do conceito de identidade e diversidade cultural. No Rio de Janeiro, a Mostra Internacional do Filme Etnográfico chega à sua 14ª edição como um dos mais importantes focos de formação e informação do público e também de difusão e produção desse gênero de cinema. Idealizado e produzido pela Interior Produções, o evento acontece de 26 de novembro a 4 de dezembro com exibições gratuitas no Espaço Museu da República, Caixa Cultural e Arte Sesc Flamengo.
A abertura será dia 26 de novembro, às 18h30, no Arte SESC, com a exibição de “Mosso Mosso - Jean Rouch comme si...” (FRA/1998), de Jean-Andre Fieschi. É uma maneira de associar a Mostra às homenagens ao mestre do filme etnográfico, que estão sendo feitas este ano em vários países. Na ocasião também haverá o lançamento do 2º Etnodoc, edital que contemplará com financiamento projetos de documentários de até 26 minutos, pela Associação de Amigos do Museu de Folclore (inscrições de 26/11 a 30/12, mais detalhes no www.etnodoc.org.br).

Caixa Cultural Rio de Janeiro/Cinemas 1 e 2, Av. Almirante Barroso, 25, Centro (3321-4400). Grátis.
Espaço Museu da República, Rua do Catete, 153, Catete (3826-7984). Grátis.
Arte Sesc, Rua Marquês de Abrantes, 99, Flamengo (3138-1020). Grátis.
.


FGV: eu quero uma sucursal do CPDOC no RS

Não é a primeira vez que recebo programações interessantes da Fundação Getúlio Vargas na área de patrimônio e documentação. São cursos, eventos, oportunidades que infelizmente não chegaram aqui no RS, que por enquanto conta apenas com cursos mais voltados para a área da Administração. Apenas para citar um exemplo e deixar na vontade quem não poderá no evento abaixo.

Documentário sobre o diretor do Cinema Novo, Leon Hirszman, realizado por seu amigo e companheiro de trabalho. O filme refaz a trajetória do cineasta através de sua obra e de imagens de arquivo. Usando inúmeros depoimentos do próprio Leon, Eduardo Escorel traça a síntese das esperanças e das frustrações de toda uma geração.

O debate contará com presença do diretor Eduardo Escorel.

O Cineclube FGV é uma iniciativa ligada à Pós-Graduação em Cinema Documentário da FGV. As sessões são gratuitas e abertas ao público.
Deixa que eu falo
Direção: Eduardo Escorel

26 de novembro, quinta-feira, às 19h
Local: Fundação Getulio Vargas - Sala 305 (3º andar)
Praia de Botafogo 190, Rio de Janeiro

A FGV não permite o acesso
de pessoas com shorts ou bermudas nem com sandálias tipo havaiana.
CPDOC/FGV
Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, 14° Andar - Botafogo  •  Rio de Janeiro  •  22253-900
Internet: http://www.fgv.br/cpdoc

Lei da Informação: em tempos de atos secretos, olho nessa lei

Capitaneado por arquivistas, o blog http://leidainformacao.blogspot.com é um espaço para apresentar e discutir o Projeto de Lei que Regula o Acesso à Informação - previsto no inciso XXXIII do art. 5º, no inciso II do § 3º do art. 37 e no § 2º do art. 216 da Constituição Federal, a chamada "Lei da Informação". Em tempos de atos secretos e de projetos como o "Memórias Reveladas" enfrentando dificuldades exatamente pela renovação de prazos de sigilo e confidencialidade, é preciso redobrar a atenção com esse tipo de legislação.

Um exemplo do que está sendo discutido:

O deputado Mendes Ribeiro (PMDB-RS) propõe que o prazo máximo para o sigilo de documentos no Brasil seja de 25 anos, renovável uma única vez por igual período. O parlamentar é o relator da comissão especial que analisa o Projeto de Lei 219/03, do deputado Reginaldo Lopes (PT-MG), que regula o acesso às informações detidas pela administração pública. Tramita apensado, o PL 5228/09, do Executivo.

Mendes Ribeiro Filho acredita que enfrentou em seu relatório preliminar os maiores desafios apontados durante as discussões promovidas pela comissão com especialistas e entidades que defendem o acesso ás informações públicas.

Na sua avaliação, a modificação mais importante é a limitação a uma única renovação do prazo de 25 anos para o sigilo das informações. A proposta original era de que um documento poderia ser declarado sigiloso por 25 anos, renováveis quantas vezes se considerasse necessário.

"Era como criar inúmeros segredos de Fátima", disse o relator, se referindo aos segredos que teriam sido repassados por Nossa Senhora a três crianças em Portugal no início do século passado e cujo último só foi revelado em 2000.

(Texto completo disponível no site da Câmara Federal)

Rapidinhas

Coletiva.net
Processado, jornal JÁ vive momento difícil
Está com edição extra nas bancas, mas editor não sabe se manterá circulação
http://www.coletiva.net/site/noticia_detalhe.php?idNoticia=33218 


Agência de Notícias dos Direitos da Infância (Andi)
Abertas as inscrições para o 5° Concurso Tim Lopes de Investigação Jornalística
http://www.andi.org.br/mini_sites/tim_lopes/quinta_edicao

Fundación Nuevo Periodismo Iberoamericano
XV Foro Eurolatinoamericano de Comunicación (está acontecendo desde ontem e segue até amanhã, 26, em Lisboa)
http://www.fnpi.org/actividades/2009/foro-eurolatino-2009/
Seminário virtual com Francis Pisani: oito ferramentas web para um jornalismo mais prático e apaixonante http://www.fnpi.org/noticias/noticia/articulo/seminario-virtual-con-francis-pisani-8-herramientas-web-para-ejercer-un-periodismo-mas-practico-y/

Fenaj
MTE não abre mão de controlar registro profissional. PEC 33 está na pauta no Senado
http://www.fenaj.org.br/materia.php?id=2903
FENAJ apresenta embargo contra acórdão do STF sobre o diploma (acórdão decidiu até sobre o que não estava em pauta...)
http://www.fenaj.org.br/materia.php?id=2902

Mesmo que tenha custado uma vida

O Knight Center of Journalism está divulgando com informações da EFE o lançamento do documentário "Aunque me cueste la vida", de Silvia Maturana e Pablo Espejo, que conta a história do cinegrafista argentino Leonardo Henrichsen, assassinado em Santiago do Chile quando cobria o motim conhecido como "Tanquetazo", em 1973, para a televisão sueca, e que acabou registrando a própria morte. O documentário inclui ainda imagens inéditas do trabalho do cinegrafista durante os anos 1960 e 1970, que retratam a violência política da cena latino-americana da época e revela a identidade do funcionário que matou Henrichsen trinta anos atrás há mais de três décadas, única punição que o assassino recebeu, já que nunca foi julgado.

A apresentação foi feita no Festival Internacional de Cinema de Viña del Mar, no Chile, e já recebeu os prêmios do público do Festival de Cinema Social e Documentários de Valparaíso (também no Chile) e de melhor documentário sobre direitos humanos do XI Festival de Rivadavia (Argentina), além de estar sendo saudado em outros países especialmente da América Latina.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Pulitzer e a formação em Jornalismo: texto será lançado no 7º SBPJor

Infelizmente neste evento não estarei presente, embora tenha chegado a pensar em ir. Não dá para abraçar o mundo. Bem, a Fenaj informa que o Mestrado em Jornalismo da UFSC e a Editora Insular lançam quinta-feira, 26 de novembro  às 20h, na ECA-USP, na sessão de lançamentos do 7º Encontro Nacional da SBPJor, o terceiro e quarto volumes da série "Jornalismo a Rigor", com o texto "A Escola de Jornalismo - a Opinião Pública" de Joseph Pulitzer, e "Jornalismo, conhecimento e objetividade: além do espelho e das construções", com a tese de doutorado defendida pela professora Liriam Sponholz na Universidade de Leipzig, berço dos primeiros estudos sobre jornalismo. A edição bilíngüe de "A Escola de Jornalismo - a Opinião Pública" traz o texto original (de 1904) em inglês, com a tradução para o português realizada pelos jornalistas Jorge Meditsch e Eduardo Meditsch. No texto, Pulitzer (1847-1911), após ser criticado por doar milhões de dólares para a criação de uma faculdade de jornalismo dos Estados Unidos e a instituição de um prêmio anual "para encorajar e distinguir a excelência no jornalismo", faz uma vigorosa defesa do ensino superior específico o que mudou a percepção da sociedade civil norte-americana e da própria indústria jornalística sobre o ofício: de mero ramo de negócio – marcado pelo exacerbado sensacionalismo praticado no final do Século XIX - para uma profissão intelectual de nível universitário, com obrigações e responsabilidades de serviço público.

Pulitzer foi apontado pela Associação Norteamericana de Editores de Jornais, na década de 1940, como "o maior jornalista de todos os tempos". Segundo os editores da série Jornalismo a Rigor, este texto "é uma referência indispensável para publishers, executivos e profissionais do jornalismo, assim como para professores, pesquisadores e estudantes - e, talvez, para ministros do Supremo Tribunal Federal".

Já em "Jornalismo, conhecimento e objetividade: além do espelho e das construções", Liriam Sponholz aborda como a polarização entre duas visões do jornalismo – de um lado como espelho da realidade, de outro como construção ideológica – tem ajudado pouco na solução do problema fundamental da objetividade que, indiferente a esta tomada de partido, continua a orientar a prática dos jornalistas e de seus públicos na produção e no consumo diário de notícias.

Saiba mais em http://www.fenaj.org.br/materia.php?id=2897, http://www.sbpjor.org.br/sbpjor/?cat=6 ou http://www.insular.com.br.

Dias fora, muitos acontecimentos, como acompanhar

Alguns dias fora participando do VIII CAM em Montevidéu onde informação e novas tecnologias foram pauta e lendo os jornais acumulados - embora acompanhasse as notícias online - trouxeram algumas novidades. Tantas que às vezes nem dá tempo de comentar. Uma delas foi o mergulho de cabeça da Zero Hora em uma nova forma de utilizar as ferramentas e redes online como Twitter, YouTube, etc., que já utilizavam. Agora é utilizada de forma muito mais intensa como fonte, aproveitando posts e twits de pessoas que "estão onde está a notícia". Muito bem. Vá lá que o repórter não consegue estar em todos os lugares e que sempre se valorizou denúncias, informações, etc. Ele reporta, afinal, e não só o que vê, mas o que ouve, o que lê, e assim por diante. Mas é preciso reforçar e muito uma outra prerrogativa jornalística que é a confirmação dessas fontes.

Nenhuma empresa séria vai deixar de pensar nisso, podem dizer. Mas há que chamar a atenção para o fato. Afinal, é uma avalanche - ou no caso da pauta da chuva, uma enxurrada - de fontes que passaram a ser consideradas, e uma editora sozinha não vai dar conta. O próprio jornal admitiu que uma das suas jornalistas não conseguia levantar da cadeira onde gerenciava as informações chegando. E tudo isso em um cenário onde qualquer um pode ser contratado como jornalista é preocupante, pois quantos terão o cuidado devido? Não é corporativismo. É aquela simples reflexão de que liberdade de informação é uma coisa, liberdade de registro de uma profissão que exige qualificação é outra. Abram alas para as informações e todos os informantes.

Que tenhamos jornalistas qualificados para conferir a veracidade dessas informações e para buscar outros pontos de vista. Aí, sim, teremos jornalismo, cidadania e qualidade de informação. Alguns falam dos grandes nomes da imprensa que não tinham formação de jornalista. De tempos de grandes discursos que viravam colunas de jornais e vice-versa. Outros tempos. Me preocupo bem menos - nada, na verdade - com os grandes nomes. Possuem outras formações? Sim, mas Eles se identificam, assumem, assinam. O anonimato é que preocupa. E a rede propicia esse anonimato para o bem e para o mal.

Outro ponto... esquerda, direita, volver... a eleição do DCE da UFRGS. Particularmente nunca gostei do jogo partidário que envolve os centros acadêmicos, seja de qual partido for. Mas a política no sentido de agir estrategicamente em grupo, de reivindicar, de discutir e cobrar dos governos e da sociedade mudanças necessárias, isso precisa continuar. "Fora Fulano" talvez não seja mesmo, seja quem for a vítima da vez, o melhor foco. Não é possível que justamente no meio universitário se calem as vozes que acordam os acomodados. Resolver problemas internos dos estudantes, sim, mas com os olhos abertos no que acontece em volta. Para que não aconteçam aqui episódios como o da Uniban, onde impróprio ou não o traje, foram empregadas as mais equivocadas justificativas (que sequer eram possíveis) para o que aconteceu. Lembremos que o Talibã virou o que conhecemos exatamente no meio universitário.

Ou seja: estamos condenados entre a apatia completa e o fundamentalismo e o moralismo? É exatamente na universidade onde temos mais responsabilidade de discutir isso. A sociedade está pagando. Mesmo se for particular, a universidade recebe recursos. Quem está lá dentro tem que dar resposta. Se posicionar. Não tem tempo? Quando sair, terá ainda menos. E às vezes saia, sim, às ruas, mesmo que pareça algo antiquado. Sente-se um palhaço? E se nada mudar, não vai se sentir assim, também? Pensam muito diferente do que o grupinho que aparece mais? Organize-se. Porque é legítimo que de centros acadêmicos surjam lideranças que depois vão concorrer a cargos públicos e decidir por você. Opine. Vote. E lembre em quem votou.

Se a preguiça ou a correria for tanta, aproveite a ferramenta-mania preferida de nossa era: encher a caixa de e-mail do SEU - assim, possessivo - vereador, deputado,  senador. Confira se ele está votando no que você acredita.

Resumo da ópera: não sou contra nem a favor de quem ganhou a eleição do DCE. Sou a favor de que haja mudança e discussão. Só não gosto e me preocupo é com o tom de que um ou outro está totalmente errado ou certo. Nenhum estará sempre. Nem chiita nem alienado: o caminho do meio - e aqui filosoficamente falando, bem entendido!

A propósito: a PEC 33/2009 segue para o Senado. E-mails em http://jornalista-so-com-diploma.ning.com/profiles/blogs/pela-pec-do-diploma-envie-sua.

Para refletir:



"La memoria"
Letra y música: León Gieco
 
Los viejos amores que no están,
la ilusión de los que perdieron,
todas las promesas que se van,
y los que en cualquier guerra se cayeron.

Todo está guardado en la memoria,
sueño de la vida y de la historia.

El engaño y la complicidad
de los genocidas que están sueltos,
el indulto y el punto final
a las bestias de aquel infierno.

Todo está guardado en la memoria,
sueño de la vida y de la historia.

La memoria despierta para herir
a los pueblos dormidos
que no la dejan vivir
libre como el viento.

Los desaparecidos que se buscan
con el color de sus nacimientos,
el hambre y la abundancia que se juntan,
el mal trato con su mal recuerdo.

Todo está clavado en la memoria,
espina de la vida y de la historia.

Dos mil comerían por un año
con lo que cuesta un minuto militar
Cuántos dejarían de ser esclavos
por el precio de una bomba al mar.

Todo está clavado en la memoria,
espina de la vida y de la historia.

La memoria pincha hasta sangrar,
a los pueblos que la amarran
y no la dejan andar
libre como el viento.

Todos los muertos de la A.M.I.A.
y los de la Embajada de Israel,
el poder secreto de las armas,
la justicia que mira y no ve.

Todo está escondido en la memoria,
refugio de la vida y de la historia.

Fue cuando se callaron las iglesias,
fue cuando el fútbol se lo comió todo,
que los padres palotinos y Angelelli
dejaron su sangre en el lodo.

Todo está escondido en la memoria,
refugio de la vida y de la historia.

La memoria estalla hasta vencer
a los pueblos que la aplastan
y que no la dejan ser
libre como el viento.

La bala a Chico Méndez en Brasil,
150.000 guatemaltecos,
los mineros que enfrentan al fusil,
represión estudiantil en México.

Todo está cargado en la memoria,
arma de la vida y de la historia.

América con almas destruidas,
los chicos que mata el escuadrón,
suplicio de Mugica por las villas,
dignidad de Rodolfo Walsh.

Todo está cargado en la memoria,
arma de la vida y de la historia.

La memoria apunta hasta matar
a los pueblos que la callan
y no la dejan volar
libre como el viento. 

MUHM sedia painel da AARGS sobre saúde dos profissionais de arquivos

A Associação dos Arquivistas do Estado do Rio Grande do Sul promove no próximo dia 26 de novembro, das 18h às 20h, com o apoio do MUHM, o painel "A Saúde dos Profissionais dos Arquivos". O evento acontece na Sala Rita Lobato do museu (Av. Independência, 270 – prédio histórico do Hospital Beneficência Portuguesa) e tem como objetivo relacionar as condições ambientais dos acervos e as condições ideais para a saúde e o conforto do trabalho do arquivista. No programa estão o panorama das condições ambientais comuns aos arquivos e a situação ideal, equipamentos de proteção individual, controle ambiental para preservação de acervos, doenças relacionadas ao ambiente, agentes agressores no ambiente de trabalho, insalubridade e demais questões pertinentes ao tema. A coordenação é da arquivista Helena Marques Bastos e as palestrantes Maria Lúcia Ricardo Souto e Geila Radünz Vieira com mediação de Daniele Rodrigues Xarão, graduanda em Arquivologia pela UFRGS.

Inscrições: enviar nome completo para o e-mail aargs@aargs.com.br solicitando inscrição. As vagas são limitadas.
Pagamento: Depósito de R$ 10,00 no Banco do Brasil Ag. 3334-0 Conta Corrente 9808-6. Confirmar pagamento no mesmo e-mail até 25/11/2009

Mais informações: http://www.aargs.com.br

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Conferência Nacional de Comunicação será realizada de 14 a 17 de dezembro, em Brasília

Fazendo coro a todos aqueles preocupados com o futuro da Comunicação no Brasil, divulgo:

Com o tema central Comunicação: meios para a construção de direitos e de cidadania na era digital, a 1ª Conferência Nacional de Comunicação (Confecom) se desenvolverá em três eixos temáticos - Produção de Conteúdo, Meios de Distribuição e Cidadania: Direitos e Deveres. O evento será realizado de 14 a 17 de dezembro, no Centro de Convenções Ulysses Guimarães, em Brasília.

A temática Produção de Conteúdo deverá focar as discussões na produção independente, incentivos, tributação, propriedade intelectual e outros. Quanto à abordagem sobre os Meios de Distribuição deverão ser explorados assuntos relacionados às diversas mídias e às telecomunicações, por exemplo.

Já o eixo Cidadania: Direitos e Deveres pretende fomentar amplo debate sobre a democratização e a participação da sociedade na comunicação, a liberdade de expressão, o direito à comunicação e o acesso à cultura, dentre outros temas de interesse nacional. As orientações metodológicas e o texto-base podem ser acessados no documento de referência para a 1ª Confecom.

Processo Preparatório - As etapas estaduais da Conferência estão sendo realizadas pelo país. O processo preparatório à 1ª Confecom incluiu conferências municipais, conferências intermunicipais, conferências livres e a conferência virtual, de âmbito nacional.

Debates na Cultura

No final de setembro, o Ministério da Cultura promoveu a 1ª Conferência Livre de Comunicação para Cultura, em Pernambuco. A plenária final aprovou uma série de propostas que serão levadas à Conferência Nacional de Comunicação e posteriormente à II Conferência Nacional de Cultura, em março de 2010. Nos meses de agosto e setembro, o MinC também realizou, na sua sede em Brasília, um ciclo de palestras preparatório à Confecom, aberto ao público e transmitido ao vivo pela Internet.

Desde 2005, quando foi realizada a 1ª Conferência Nacional de Cultura (CNC), o Ministério da Cultura vem promovendo discussões sobre os temas que serão foco da Confecom. Já naquela ocasião, foram definidas algumas ações em áreas prioritárias para a inclusão sociocultural (30 propostas prioritárias). Dentre elas, estão a criação de Rádios e TVs Públicas e Comunitárias, a regulamentação das leis dos meios de comunicação de massa (rádio, televisão, cinema e telefonia móvel), assim como o envolvimento da sociedade civil nas discussões e a viabilização de equipamentos públicos para a difusão cultural (cineclubes, telecentros, pontos de cultura, bibliotecas etc).

Mais informações: http://www.confecom.gov.br.

(Fonte: Ministério da Cultura)
A conferência é apontada como crucial para o debate sobre a qualidade da informação e da comunicação no país, em especial no que diz respeito à democracia e envolvimento de grandes grupos e seus respectivos interesses. Por conta dessa discussão, mesmo com o problema do diploma - em parte sendo resolvido - os jornalistas ganharam força, já que possuem poder de representação e voto.

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

CCJC aprova PEC da constitucionalidade da exigência de diploma para exercício do jornalismo

Em votação simbólica ocorrida na manhã de hoje (11) a Comissão de Constituição, Justiça e de Cidadania (CCJC) da Câmara dos Deputados aprovou a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 386/09. A tramitação na Comissão pode ser acompanhada clicando aqui. Em tempo: recebi vários comunicados e newsletters da Fenaj, O Jornalista, Sindicato do RS, mas também diversos blogs de pessoas que se identificam como jornalistas sobre a aprovação. Ótimo. Apenas uma questão discutível: alguns desses blogs registram que o PSDB foi o único contra. Mas não foi o partido todo, apenas um deputado do Pará que fez um voto em separado. É diferente... e o pior é que algumas fontes mais "oficiais" dão corda.

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

AUA divulga lista de trabalhos aprovados para o VIII CAM


No final de outubro foi enfim divulgada pela organização do VIII Congresso de Arquivologia do Mercosul - CAM, a listagem oficial dos trabalhos aprovados - entre os quais dois desta escrivinhadora - para as diversas sessões e eventos paralelos do evento. A Executiva Nacional de Associações Regionais de Arquivologia (ENARA) destaca a participação de arquivistas e estudantes brasileiros no evento e em geral nos congressos do Mercosul.

A listagem oficial está no site do evento hospedado no da associação uruguaia organizadora do congresso, que acontece de 17 a 21 de novembro em Montevidéu, Uruguai.

 

Museus Literários no Brasil

Acontece nesta sexta-feira (06) a sessão de autógrafos a obra Museus Literários no Brasil: História, Idéias e Guia de Acervos (Editora Plátano, 120 p.), de Teniza Spinelli, às 17h 30min, no Pavilhão de Autógrafos da 55ª Feira do Livro de Porto Alegre. O livro tem apoio da Academia Literária Feminina do Rio Grande do Sul e faz um breve histórico da Museologia Brasileira, pontuando a criação dos Museus Literários. Analisa as relações entre Museologia, Arquivologia e Biblioteconomia, identificando suas interfaces como campos das Ciências da Informação e Documentação. Traz ainda um anexo da legislação cultural brasileira para a área do Livro, da Literatura e suas relações com a Museologia e, por fim, o Guia de Museus Literários no Brasil. Informações do SEM/RS.

Votação da PEC adiada para dia 11

Manobras de todo o lado e a maioria delas vencida, mas não o suficiente para impedir o adiamento da votação da PEC do diploma de jornalista. Mais informações em http://www.fenaj.org.br/materia.php?id=2874.

quarta-feira, 4 de novembro de 2009

Seminário Internacional na PUCRS

improvavel seria uma boa definicao da proposta mas incrivelme... on Twitpic






X Seminário Internacional de Comunicação trouxe nesta 3a-feira à PUCRS Michel Maffesoli e Muniz Sodré falando sobre Brasil, Comte - por mais improvável que pareça - comunicação e imaginário. Uma volta incrível que resultou na crítica à linearidade e no culto ao determinismo "ou este ou aquele". A programação completa está em http://www.pucrs.br/famecos/pos/seminariointernacional e até o momento o único problema é justamente dar conta da quantidade de atividades no que diz respeito aos GTs. Isto porque há apenas um grande horário e acaba sendo complicado saber quando acontece a fala que interessa e perde-se outras. A melhorar para o próximo.

Lide: de jornalistas para jornalistas e para quem quiser



Lide é o nome da revista do Sindicato dos Jornalistas do RJ, que descobri tardiamente mas indico www.jornalistas.org.br/RevistaLide56.pdf.

CCJC da Câmara dos Deputados aprecia PEC do diploma nesta 4ª-feira



CCJC da Câmara dos Deputados aprecia nesta 4a-f PEC 386/09 que restabelece exigência do diploma para exercício do Jornalismo. Estimativas estão no site http://www.fenaj.org.br/ e a lista de e-mails de deputados em http://jornalista-so-com-diploma.ning.com/profiles/blogs/envie-aos-parlamentares-da-ccj.


ANPUH-RS divulga GT Negros: história, cultura e sociedade





O GT Negros: história, cultura e sociedade da ANPUH-RS se reúne até quinta-feira (05). Mais informações com a coordenação: Arilson dos Santos Gomes, e-mail arilson.memorial@uol.com.br. Também pode ser consultado o site http://www.gtnegros.org/


terça-feira, 20 de outubro de 2009

Comunicação também tem dia

Eu nem sabia, mas parece que a Comunicação - empresarial, segundo o site da FSB Comunicação - também tem dia, e é 08 de outubro. Já passou, mas aproveito o vídeo criado pela empresa, que é simples, direto e de bom gosto, como a comunicação deve ser.

Dia do Arquivista: política e acesso à informação

Hoje recebi um e-mail do Sinarquivo sobre uma carta enviada pela entidade aos parlamentares para que façam homenagens pelo Dia do Arquivista, que se comemora hoje, 20 de outubro. Bom, o conteúdo da carta eu não só apoio como divulgo, mas a estratégia, eu sou TERMINANTEMENTE CONTRA. Os parlamentares já ficam só de terça a quinta-feira trabalhando - mesmo que às vezes até mais tarde, é verdade, mas em geral por interesses bem específicos. E há outro detalhe: essas homenagens, títulos de cidadãos, prêmios, etc, em geral só geram mais CUSTOS aos cofres públicos, ou seja, o nosso bolso. É gasto com convite, tempo dedicado, para não dizer perdido. Etc, etc, etc, etc.

Acho que vale mais a pena iniciativas como o Prêmio Mário Pedrosa, que estimula jornalistas a dar atenção a pautas sobre museus, ou algo do gênero que incentive estudantes a escreverem, fazerem trabalhos sobre o tema, ou instituições a promoverem eventos que resultem em capacitação...

Mas enfim: a causa é nobre, então, faço a minha parte na difusão da profissão e de tudo o que está relacionado a ela, afinal, é a qualidade de nossos arquivos e acervos em jogo.

ARQUIVISTA: Um profissional estratégico na sociedade do conhecimento.

No dia 20 de outubro é comemorado o dia do ARQUIVISTA. Conheça mais sobre a formação e qual o papel dele no seu negócio.

O exercício da profissão de ARQUIVISTA só é permitido, segundo a lei 6.546/78 que regulamenta a profissão, aos diplomados por Curso Superior em Arquivologia, ou aqueles que na época de publicação da Lei comprovaram pelo menos, cinco anos ininterruptos de atividade ou dez intercalados. Estes foram, em 1978, provisionados, e receberam registro de ARQUIVISTA. Ainda segundo a lei, estes profissionais precisam se registrar na Superintendência Regional de Trabalho e Emprego - SRTE, órgão vinculado ao Ministério do Trabalho e Emprego – MTE.

Muitas pessoas acreditam que documentos antigos, empoeirados e amarelados são as ferramentas de trabalho que um ARQUIVISTA utiliza no seu dia-a-dia. No entanto, trata-se de apenas mais uma das muitas confusões que ocorre quando se fala nessa profissão, assim como a equiparação (errônea) que se costuma criar entre o ARQUIVISTA e o Bibliotecário, ou ainda com o Historiador.

O ARQUIVISTA é o profissional capaz de recuperar, no menor tempo possível, uma informação armazenada em qualquer que seja o suporte, seja ele físico, digital ou virtual. A gestão arquivística de documentos e informações implica atuação na produção, tramitação, uso, arquivamento, recuperação e classificação de documentos que vão desde certidões de nascimento até documentos sigilosos de guerra, passando por relatórios fundamentais a uma rápida e eficaz tomada de decisão gerencial. A consulta ao documento certo, sem perda de tempo, garante decisões rápidas, tão fundamentais no competitivo universo corporativo, além de possibilitar um planejamento estratégico mais eficiente.

Muitas organizações estão procurando ARQUIVISTAS para organizar a distribuição e o armazenamento de informações da empresa. Vários concursos públicos estão buscando profissionais formados em Arquivologia, para facilitar a tomada de decisão por parte dos administradores. Isso está diretamente relacionado a modernização do Estado Brasileiro. Este Estado moderno, atento ao valor da informação e do conhecimento, valoriza cada vez mais o ARQUIVISTA. Para se ter uma idéia, apenas nos últimos 5 anos mais de 350 vagas para ARQUIVISTAS foram criadas, através de concursos públicos, somente no Poder Executivo Federal. O desafio agora é levar esta expressividade de vagas para os demais poderes e níveis de poder, que no mesmo período, juntos abriram apenas cerca de 150 vagas. Ao buscar um estágio, em geral, o estudante não encontra dificuldades, pois o número de oportunidades costuma ser maior do que o número de estudantes.

Hoje muitas áreas do conhecimento têm percebido a Arquivologia como um diferencial competitivo no desenvolvimento de suas atividades, justamente pelo vetor informacional que o ARQUIVISTA consegue agregar às atividades onde atua. As técnicas e princípios da arquivologia têm garantido a muitas empresas obterem cases de sucesso em seus projetos.

A profissão de ARQUIVISTA encontra-se em efetiva ascensão, com diversificado mercado de trabalho: arquivos históricos e administrativos, arquivos empresariais, arquivos pessoais, centros de documentação e memória, arquivos especializados, consultorias arquivísticas, serviços ou redes de informação, órgãos de gestão do patrimônio cultural, gerenciamento Eletrônico de Documentos, Inteligência Competitiva, Gestão do Conhecimento, Gestão da Qualidade, etc...

Ainda existe um estigma de que uma pessoa que trabalha com arquivos tem uma ocupação monótona e que lida apenas com um monte de papéis velhos, mas fica patente a cada dia que, quem já percebeu o quanto o ARQUIVISTA pode contribuir no apoio à gestão, especialmente na era da informação, está partindo na frente no mercado e obtendo excelentes resultados.

Portanto, neste dia 20 de outubro, dia do ARQUIVISTA, faça uma reflexão da importância deste profissional e dê a ele seu devido valor.

Daniel Beltran
Presidente do SINARQUIVO
Sindicato Nacional dos Arquivistas e Técnicos de Arquivo

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Rodin de Minas para SP e também em Salvador

As obras de Rodin estão rodando pelo Brasil. Depois de fazer sucesso em Belo Horizonte (Casa Fiat), a exposição está indo para o MASP, em São Paulo, e outras peças - 62, no total - vão ficar em Salvador, no Palacete das Artes, por três anos. Em Salvador ainda há tempo para ver "O Beijo", "O Pensador" e muitas outras obras, mas no MASP, a intenção é conferir já, pois a exposição fica apenas até 13 de dezembro.

quinta-feira, 15 de outubro de 2009

Memórias da medicina gaúcha compartilhadas com o público

Compartilhando MemóriasO Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul (MUHM) vai comemorar o Dia do Médico e o seu aniversário de 2 anos em sua sede com mais uma exposição, a oitava desde que foi instalado por seu mantenedor, o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS) no prédio histórico da Beneficência Portuguesa.

“Compartilhando Memórias: o MUHM e seus Doadores” homenageia aqueles que ajudaram e continuam ajudando a compor o acervo do museu, por meio de doações de objetos, livros, fotografias e outros documentos. O evento de abertura da mostra acontece no dia 16 de outubro às 20 horas na sede do museu (av. Independência, 270, Centro de Porto Alegre).

Segundo o diretor do museu, o historiador Éverton Quevedo, essa é uma exposição que vai direto ao objetivo principal da existência do MUHM: constituir acervos, cuidando de sua preservação, conservação, organização e divulgação, além de ser um promotor e incentivador de pesquisas sobre a história médica no Estado. “O acervo do museu é formado por doações, e já conta com 2 mil objetos museológicos, aproximadamente 5 mil livros e 10 mil documentos, entre raridades nacionais e estrangeiras e amplo material digitalizado para pesquisa, e tudo isso veio de médicos – ou familiares de médicos – e comunidade, não só de Porto Alegre, mas de todo o estado”, explica.

Nesta exposição os visitantes verão objetos, documentos e fotografias, além de um vídeo, sempre com o foco sempre nas pessoas. Quem foi o médico que doou ou utilizou aquele material, onde atuou, qual sua especialidade, histórias que completam a experiência de ver o que está exposto no museu.



O público poderá conhecer fotos, documentos e biografias como a do médico, poeta e escritor Aureliano de Figueiredo Pinto, doações da sua neta Maura Pinto de Freitas e de sua bisneta Aline Visentini. Outro exemplo é o do acervo dos Schlatter, que com vários médicos na família, reúne fotografias e objetos que são presença garantida nas exposições do museu, graças à atuação e dedicação da doadora e amiga do museu Olga Schlatter.


Imagens


MD. Gabriel Schlatter no curso de partos

Médico Aureliano de Figueiredo Pinto (ao centro) e sua equipe, na cidade de Santiago




Poema de autoria de Aureliano de Figueiredo Pinto – Lenço Farroupilha





Médico Gabriel Schlatter e grupo de alunas do Curso de Partos 1909


Cirurgia de Bócio operada pelo MD. Gabriel Schlatter
Registro fotográfico de paciente de cirurgia de Bócio operada pelo médico Gabriel Schlatter



Vídeo

Outra atração é o vídeo homônimo "Compartilhando Memórias" produzido pelo fotodocumentarista Felipe Henrique Gavioli a partir dos depoimentos de médicos e familiares de médicos que doaram acervos e registrarm com o MUHM as suas memórias. As narrativas abordam o estudo da Medicina, trabalho, técnicas antigas e histórias pessoais.


Vídeo "Compartilhando Memórias"

Programação da TVE

Apesar de todas as dificuldades, a TVE continua com uma programação de qualidade, que muitas vezes as pessoas nem sabem que existe ou esquecem. E depois reclamam que não tem nada na TV e por isso "acabam assistindo porcaria". Bem, aí vão algumas sugestões na área de literatura e de documentários.

15 de outubro (hoje): DIREITO E LITERATURA DISCUTE “REPARAÇÃO”

"Na reprise desta quinta, 15, às 23h10min, Direito e Literatura discute a obra “Reparação” de Ian Mcewan.
 A história fala de Briony, uma pré-adolescente que desgraçadamente ganha da vida oportunidade para exercitar sua crueldade. E Briony não decepciona. É a única pessoa que viu a sombra do estuprador de sua prima de 15 anos e decide acusar um inocente pelo crime. Abruptamente introduzida “na arena adulta de emoções e dissimulações”, Briony não sabe medir as conseqüências de seu ato. Mas terá o resto da vida para se dar conta do que fez.
Para debater a obra, estarão presentes Fernanda Bragato, doutoranda em Direito pela Unisinos e professora do curso de Direito da Unisinos e Rosalia Neuman Garcia, doutora em Letras pela Ufrgs e professora do curso de Letras da Ufrgs.
Direito e Literatura é apresentado por Lênio Streck e produzido por Cecilia Jacoby."



16 de outubro: PROGRAMA DOC TV IV LANÇA SÉRIE INÉDITA COM 55 DOCUMENTÁRIOS
"A Série DOC TV IV apresenta nesta sexta, às 22h40min, o documentário 'Garimpo do Bom Presente' do autor e diretor Alex Badra.

Em 1987, em Rondônia, foi descoberto o maior garimpo de cassiterita do mundo, o Garimpo do Bom Futuro. À época, a região foi ocupada por milhares de garimpeiros e grandes empresas mineradoras. Hoje, pouco resta do minério que levou riqueza para o local, e a cidade vive uma crise por não ter desenvolvido uma alternativa econômica. Em contraponto a essa falta de perspectiva, surge a Escola da Vila, premiada pela UNESCO, que aponta para uma possibilidade de futuro ao levar para a escola os filhos dos garimpeiros que permaneceram na cidade.

A Série de Documentários DOCTV IV é uma promessa de encontro das questões urgentes do país com o povo brasileiro, por meio do olhar de 55 documentaristas sobre suas realidades.

Os Documentários da Série DOCTV IV caminham em três direções, ora enfrentando os processos sociais contemporâneos, ora dialogando com a tradição, ora promovendo revisões históricas, quando não articulando duas dessas estratégias de abordagem em um mesmo documentário.

O DOCTV teve em suas quatro edições quase 3000 projetos de documentário inscritos em 100 concursos estaduais, tendo co-produzido 170 documentários e gerado mais de 3 mil horas de programação para a Rede Pública de Televisão.

Nessas quatro edições foram realizadas, também, 67 Oficinas para Formatação de Projetos com a participação de mais de 2.000 realizadores de todo Brasil, e três Oficinas para Desenvolvimento de Projetos, nas edições II, III e IV do DOCTV, reunindo os autores de projetos selecionados com expoentes do documentário brasileiro, como Jean-Claude Bernardet, Eduardo Coutinho, Eduardo Escorel, Maurice Capovilla, Geraldo Sarno, Jorge Bodanzky, Ruy Guerra, Giba Assis Brasil, Cezar Migliorin, Felipe Lacerda, Joel Pizzini e Cristiana Grumbach para a discussão detalhada de cada projeto.

Em sua quarta edição, o Programa DOCTV é realizado pela Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura, ABEPEC (Associação Brasileira das Emissoras Públicas Educativas e Culturais), Fundação Padre Anchieta (TV Cultura) e Empresa Brasil de Comunicação (TV Brasil), com o apoio da Associação Brasileira de Documentaristas e Curta-metragistas, ABD."

Conferência Municipal de Cultura em Porto Alegre


terça-feira, 6 de outubro de 2009

Registros do seminário do MHN no Twitter

Alguns registros do seminário do MHN sobre comunicação, museus e exposições estou inserindo no Twitter, embora as observações maiores estejam nas minhas anotações no tradicional bloco-caneta. O nível é ótimo, as dicussões, e salvo uma fala que não usou de teórico nenhum, mas também muito boa, as demais são uma referência bibliográfica falada. Mas o grande ponto é a escrita, aqui entendida como aquilo que se quer dizer, comunicar ao público pelo museu. A tecnologia - usos e abusos; o local - do templo ao espetáculo; o objeto - e até a sua inexistência formal; são alguns temas abordados por profissionais que vem, em grande parte, do próprio MHM, MAST, UERJ, UFRJ, Fiocruz, USP, Ibram - e divisões dessas entidades. Há outros, claro, inclusive internacionais, mas o Rio continua sendo a maioria, não só por sediar, mas por todo o desenvolvimento da área por aqui.

Tem sido interessante ver que a tecnologia não é nem vedete nem a execrada, que há quem reflita melhor a respeito e respeite as diferenças entre as características dos museus, de cada exposição e do que é necessário para cada situação. Também chamam a atenção para problemas e soluções que já existiam e que muitos atribuem a uma noção de modernidade - que aliás, já virou tradição. Escrita, enfim, é o mote.

A minha expectativa fica por conta da visão de uma assessora de imprensa (também do MHN) na programação de amanhã, pois a meu ver, embora o objeto deste seminário seja a comunicação pelas exposições, a abordagem da/com/pela mídia não pode ser tão periférica como tenho visto. Há, claro, preocupações, mas não exatamente estratégias. As reflexões sobre o poder que isso envolve também passam muito ao largo. Da mesma forma passa muito batida a questão do poder do mantenedor - seja ele governamental ou não, mas sempre um agente político. Imagino o que será de quando um partido decidir (talvez nem possa) fazer um museu próprio. Pessoas, entidades, governos, empresas... esses já o fazem. É uma sugestão para o próximo: Museus e Comunicação - Estratégia, Poder e Mídia. Afinal, o MHM promove seminários permanentes e internacionais há anos e pelo que pesquisei na web esse enfoque ainda não foi devidamente explorado. Mesmo a questão do marketing morreu na casca do turismo, sem considerar o que sai na mídia a respeito. Mas ainda pretendo me informar melhor, achar nos anais de outros anos mais referências.

sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Seminário Internacional "Museus e Comunicação: Exposições como Objeto de Estudo"

O Museu Histórico Nacional (MHN)em parceria com o Museu de Astronomia e Ciências Afins/MAST/MCT, o seminário "Museus e Comunicação: Exposições como objeto de estudo" tem como objetivo propor a análise e o debate sobre exposições em museus, considerando serem as mesmas um dos instrumentos fundamentais para a comunicação com o público.

Vão ser debatidas a comunicação e o desenvolvimento científico e tecnológico, o uso e o desenvolvimento de diferentes mídias e as estratégias utilizadas para ampliar o diálogo, atrair e seduzir o público de museus, além de exposições com maior capacidade de comunicação "e que possam, a um só tempo propiciar o saber e o prazer", além de questões como a agilidade com que os museus fazem uso de instrumentos tecnológicos em suas exposições. Também vão ser abordados aspectos da produção e montagem das exposições, relacionados ao ambiente, iluminação, suportes e acondicionamento. Mais informações: http://www.museuhistoriconacional.com.br/.

Consulta Pública pode mudar nomes dos Cursos de Graduação

O MEC está fazendo uma consulta pública para normalizar as nomenclaturas dos cursos de graduação, incluindo o curso de Jornalismo, no que se refere: à Denominação do curso  Perfil do egresso Temas abordados na formação Áreas de atuação Infra-estrutura recomendada - ex: de Comunicação Social - Habilitação em Jornalismo para apenas Jornalismo; Perfil do Egresso; Temas abordados na graduação; Áreas de atuação; e Infra-estrutura recomendada. A consulta inclui outros cursos de área de comunicação e artes e até exatas e da terra. É possível participar da consulta online e consultar os referenciais pelo endereço: http://portal.mec.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=13812

 

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Inaugura hoje em São Borja o Memorial Casa de João Goulart





De passagem para inaugurar a exposição Retratos da Medicina por São Borja, que fica aberta a visitação até 23 de outubro no Centro Clínico do Hospital Ivan Goulart, conheci, graças à deferência do colega Deco Almeida, do Departamento de Assuntos Culturais(DAC), visitar antecipadamente o Memorial Casa de João Goulart.





O trabalho está sendo acompanhado pelo IPHAE e vai colaborar para o turismo no município, pois a casa fica na mesma rua, a poucos metros, do Museu Getúlio Vargas e do próprio Hospital Ivan Goulart, na avenida Presidente Vargas, formando o Corredor Cultural da Cidade.





Aberta nesta terça-feira em São Borja, a exposição itinerante Retratos da Medicina: A história Médica do Rio Grande do Sul recebe visitas de segunda a sexta-feira das 8h às 12h e das 14h às 18h até 23 de outubro. A mostra está no Centro Clínico do Hospital Ivan Goulart de São Borja (av. Presidente Vargas, 1440). A iniciativa é do O Museu de História da Medicina do RS (MUHM) e do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (SIMERS) e já percorreu 31 cidades gaúchas com fotografias, livros e materiais que contam um pouco sobre a trajetória médica no Estado desde o século XVIII, com o apoio das Delegacias Regionais do Sindicato.

Veja como foi a abertura da mostra Retratos em São Borja:






Rio de Janeiro também terá museu do futebol

Depois de São Paulo, agora é a vez do Rio de Janeiro: no início desta semana aconteceu o lançamento da Pedra fundamental da sede definitiva da CBF no Rio e do Museu do Futebol, na Barra da Tijuca, Zona Oeste, com as presenças o presidente da Federação Internacional de Futebol (Fifa), Joseph Blatter, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), RicardoTeixeira, o governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes. A Prefeitura é a responsável pela construção do Museu do Futebol, projetado pelo arquiteto Paulo Casé. A entrada será feita por um corredor alusivo à estrutura de um gol e internamente o edifício terá três pavimentos, um mezanino e um subsolo para áreas de depósito. Essa é uma das iniciativas do RJ para torná-lo protagonista da Copa do Mundo de 2014, às vésperas também do anúncio da cidade que receberá as Olimpíadas de 2016.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Curso de Extensão História e Fotografia no Memorial do RS


O Memorial do Rio Grande do Sul está com inscrições abertas para um curso de extensão em História e Fotografia com historiadores e fotógrafos profissionais a ser realizado de 13 a 15 de outubro das 18h30min às 20h30min no próprio Memorial (Praça da Alfândega, s/nº).

O valor é de R$ 10 pelo curso inteiro ou R$ 5 por palestra. Mais informaçõs pelo fone (51) 3286-6190 ou e-mail cdsmjunior@gmail.com.

Infelizmente, o próprio site do Memorial não tem essas informações, nem mesmo no site da secretaria... mas tem outras, algumas realmente absurdas...

A propósito, tentando encontrar, achei - atrasada - o link para o "Seminário de Capacitação da LIC", que se propôs a realizar hoje, no Centro Cultural CEEE, apresentação, formatação, metodologia, prestação de contas da LIC. A acompanhar próxima (?) edição.
retenções tributárias

Direitos Humanos e Ações Educativas na Redenção




Amanhã, sábado (26), das 10h às 17h, acontece no Parque da Redenção a primeira edição do “Museu vai ao Parque”, novo projeto do Museu de História da Medicina do RS (MUHM). Neste dia o museu vai apresentar à comunidade o resultado de suas Ações Educativas, que tem beneficiado escolas de Porto Alegre e Região Metropolitana, além de seu trabalho de Educação Patrimonial.




A atividade integra a 3ª Primavera dos Museus do Instituto Brasileiro de Museus/Ministério da Cultura, que neste ano tem o tema “Museus e Direitos Humanos”. Saiba mais sobre as Ações Educativas do MUHM visitando o site www.muhm.org.br/educativo.



Ópera na PUCRS

A ópera Il Trovatore, de Giuseppe Verdi, será apresentada na PUCRS nos dias 3 e 4 de outubro, no Salão de Atos da Universidade, prédio 4 do Campus Central (avenida Ipiranga, 6681), com ingressos à venda na bilheteria do teatro do Bourbon Country, de segunda a sábado, das 10h às 22h, e aos domingos, das 14h às 20h. Alunos, professores e funcionários da PUCRS tem 20% de desconto e titular do Clube do Assinante ZH 10% de desconto. Informações pelo telefone (51) 3320-3582.


Saiba mais: "Il Trovatore" (O Trovador),  é uma história que mistura amor, ódio e vingança, onde um trovador espanhol se apaixona e descobre aos poucos o seu obscuro e surpreendente passado. A apresentação, com a Orquestra Filarmônica e o Coral da Universidade, contará com as presenças dos solistas Marcelo Vannucci (São Paulo), Luis Gaeta (Buenos Aires), Adriana de Almeida, Alejandra Malvino (Buenos Aires), Sávio Sperandio (São Paulo), Luciana Bottona e Jean Marcel de Lima. A regência é do maestro Frederico Gerling Junior, e a direção cênica de Victória Milanez.

quarta-feira, 23 de setembro de 2009

17º Encontro Nacional de Jornalistas em Assessoria de Comunicação será em Goiânia



A cada dois anos, desde 1984, o Encontro Nacional de Jornalistas em Assessoria de Comunicação (ENJAC) constitui um foro de debates sobre o exercício da profissão do jornalista em assessoria de imprensa, o mercado de trabalho e de comunicação no Brasil. O objetivo também é aproximar a categoria e criar um canal de aperfeiçoamento das técnicas e instrumentos do exercício da profissão de jornalista em assessoria de comunicação e de imprensa.

O XVII ENJAC, de 1º a 4 de outubro de 2009, em Goiânia (GO), avaliará as questões próprias da atuação do jornalista profissional em assessoria de imprensa e sua relação com assessorados e redações, além da formação do profissional em assessoria de imprensa, ética profissional e relações trabalhistas.

Com o tema “Assessoria de Imprensa: O Jornalismo passa por aqui”, o encontro deste ano realizado pela Federação Nacional dos Jornalistas (FENAJ) e pelo Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de Goiás reunirá representantes da FENAJ, dos 31 Sindicatos dos Jornalistas do Brasil e jornalistas e estudantes de Jornalismo de várias partes do País. A expectativa é de que mais de 400 pessoas participem do evento em Goiânia, uma capital repleta de atrativos, localizada no coração do Brasil.

No RS os delegados e teses foram escolhidos durante o III EEJAC, realizado no último sábado em Porto Alegre. Serão 5 delegados - número correspondente ao de associados - que levarão assuntos como a obrigatoriedade do diploma para concursos públicos (tema discutido em audiência pública da AL realizada ontem no auditório da Famecos/PUCRS), assédio moral e questões de gênero, entre outros temas.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

Música lírica ao alcance de todos


Foto: Viviane Dreher

O próximo Sarau Lírico do Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul (MUHM) acontece no dia 1º de outubro, às 18 horas, dentro do projeto Quintas no Museu, nesta edição com o tenor Flávio Leite e o pianista Carlos Morejano. Obras de Tosti, Rossini, Villa-Lobos, Guastavino e Sorozábal.

Os Saraus Líricos contam com apoio da Associação Gaúcha de Cultura Musical e do mantenedor do MUHM, o Sindicato Médico do Rio Grande do Sul, e acontecem sempre na 1ª quinta-feira do mês. Os eventos são realizados sempre na sala Rita Lobato do MUHM, que fica na av. Independência, 270, Centro de Porto Alegre (Prédio Histórico do Hospital Beneficência Portuguesa). A entrada é gratuita e há estacionamentos próximos ao local.




segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Audiência Pública na PUC debate a exigência do diploma de jornalismo nesta 3ª (22) às 10h



A Assembleia Legislativa e o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Rio Grande do Sul promovem audiência pública sobre a exigência do diploma de Jornalista para o exercício da profissão, nesta terça-feira (22/9), a partir das 10h, no Auditório da Famecos, no prédio 7 da PUC. A audiência integra uma série de atividades organizadas pelo Sindicato e tem como objetivo repudiar a decisão STF que no dia 17 de junho de 2009 considerou inconstitucional a obrigatoriedade do diploma para o exercício da profissão. Saiba mais no site http://www.jornalistas-rs.org.br/.

E-book conta a História da Mídia Sonora

Organizado por Luciano Klöckner e Nair Prata, o e-book "História da Mídia Sonora: experiências, memórias e afetos de Norte a Sul do Brasil" deve ser o primeiro de uma série. A ideia partiu dos pesquisadores do Grupo Temático de História da Mídia Sonora, reunidos no VII Encontro Nacional de História da Mídia, realizado em Fortaleza, no Ceará, no período de 19 a 21 de agosto de 2009, numa promoção da Associação Brasileira de Pesquisadores de História da Mídia (ALCAR). Os textos integrantes deste livro eletrônico foram editados em cinco capítulos: Rádio e Memória; Rádio e Educação; Rádio, Perfis e Música; Rádio, Política e Comunicação Pública e ainda Rádio, Jornalismo e Tecnologia. Os artigos têm abordagem específica e atualizada, apresentando pesquisas recentes desenvolvidas em diversos níveis da área acadêmica, e foi lançado no INTERCOM deste ano em Curitiba. O acesso e o download do livro são gratuitos pelo endereço http://www.pucrs.br/edipucrs/midiasonora.pdf.